Quinta-feira, 27 de Abril de 2006

Desenhos de prazer

É engraçada a vida!

Há uns anos atrás tremia só de pensar que alguém podia descobrir, este meu segredo, julguei sempre que morreria comigo.

Agora deixo-o aqui em forma de confissão, porque a alma mo pede, porque na realidade foi tão bom que só me resta partilhar...

O Miguel era o gay da turma, ahahahahahahaahahahahahaha …

Bom, para além disso era com ele que eu passava as minhas tardes de supostos trabalhos de grupo, como se fossem precisos mais que dois para o nosso ‘grupo ‘, ele por ser o suposto gay, era como se tivesse uma doença contagiosa e portanto ninguém chegava perto.

 Já eu tinha umas três ou quatro cabras, a quem na altura chamava ingenuamente de amigas, grandes vacas!

Indiscutivelmente o Miguel era um rapaz diferente, tinha talvez uma sensibilidade mais apurada, desenhava (e desenha) maravilhosamente bem, era bom aluno, tinha os seus objectivos bem definidos e estes não passavam por privar com ninguém.

Entre nós havia um conhecimento que vinha do preparatório, mas longe de passar disso, ambos estávamos em Artes e na mesma turma, ponto final.

 

Numa tarde, estava eu sentada ao lado dele na sala de aula, no meio de uma secante aula de filosofia, começou a descer muito lenta e vagarosamente a mão e pousou-a na minha perna…

Toda eu estremeci… ‘o gajo enganou-se na perna, só pode! ‘

Mas não, passados alguns segundos começou a desenhar imaginariamente com o dedo na minha perna, a massajar levemente… e continuávamos os dois a olhar atentamente para a professora como se o que ela dizia fosse importante comparativamente com o que se estava a passar.

 

Devo dizer que fiquei imediatamente húmida, sentir o dedo dele que brincava livremente na minha perna, bem acima do joelho, pensar que estávamos em plena aula e que ainda por cima o ‘designer ‘ era só o maricas da turma, estava a sonhar!

E continuou, subiu vagarosamente a mão, o dedo, até chegar à minha virilha, não me perguntem se estava mais alguém na sala, para mim estávamos completamente a sós.

 

Quase instintivamente consertei-me na cadeira e permiti que ele continuasse o que ambos desejávamos, contornou a minha virilha delicadamente e recuou o dedo… voltou a insistir desta vez por dentro das cuecas, que delírio, eu julgo que trincava deliberadamente o lábio inferior, tinha as minhas mãos tão cerradas sobre elas que as unhas fizeram marcas, ele olhava de forma compenetrada para a professora… eu estava encharcada por completo…e ele brincava descaradamente com o meu clítoris…

mas subitamente tocou para a saída, foda-se !

 

                                         

Saímos da sala de aula, como se nada tivesse acontecido, quer dizer eu julgo que rastejei, porque as pernas pareciam-me varas verdes, na aula seguinte pude ler no seu caderno, ‘Quando terminarem as aulas, esperar-te-ei na sala de vídeo. Pensei: ‘Vou ter com ele ou não? ‘, ‘Então mas o gajo não jogava na outra equipa? ‘

Entrei na sala… ele estava lá, olhou pra mim e sorriu:

-Cheguei a pensar que não viesses…

-Eu também.

-Se soubesses à quanto tempo anseio por fazer o que aconteceu hoje… mas…

Eu disparei:

-É que todos pensam que tu…

-Sim gosto de gajos, faz diferença para ti?

-Nenhuma.

-Então senta-te aqui junto a mim, depois falamos sobre os comportamentos homossexuais…

Tenho que dizer que tardes como aquela repetiram-se algumas vezes, depois das aulas, descobríamos uma sala vazia ou a sala de vídeo, ele tinha umas mãos maravilhosas, tão maravilhosas, macias e fazia um sorriso de pecado delicioso e sugava e beijava os meus seios de forma intensa e igualmente delicada... nunca nos beijámos.

 

Ninguém soube o que aconteceu entre nós, tanto quanto sabemos, ele continuou o gay da turma até ao final do liceu, eu a encalhada, ahahahahahahahahahaha

Depois disto nunca nos tornámos a ver, ainda recebi alguns postais dele, que enviava quando ia de férias, mas nunca escrevia nada, desenhava e bem no verso do postal e colocava estrategicamente uma mão.

Soube recentemente que é um bem sucedido designer.

Nunca ninguém me deu tanto prazer…

 

Escrito por Marisa às 15:05
Piacere | Vero? | Grazie
21 comentários:
De vesúvia a 3 de Agosto de 2007 às 23:26
este post prendeu-me a atenção
vou continuar a cuscar :p
De Ca a 9 de Maio de 2006 às 00:20
Começando nos titulos, passando pelas imagens, o texto em si e terminando no "remate final" (aquela última frase que...).. Bem! Este, como todos os outros post's.. é excelente do príncipio ao fim, sem esquecer o entretanto!! Quem julga, perde o melhor que a vida coloca à disposição! Saborear a diferença, seja ela qual for, torna-nos mais e melhores. Beijinhos com carinho
De Marisa a 9 de Maio de 2006 às 09:09
Pois é aquela história, não negue à partida uma ciencia que desconhece...
Foi muito bom...
Beijos querida.
De MiguelVPinto a 5 de Maio de 2006 às 16:08
Essa experiencia que tiveste é realmente estranha... mas o que interressa é k kurtis-te...

"Nunca ninguém me deu tanto prazer"
Só tenho um comentario... sai mais vezes... lolllllll

Fica bem
MiguelVPinto
De Marisa a 5 de Maio de 2006 às 16:21
Ahahahahaha, combinado! Baci
De Antonio Pedro a 2 de Maio de 2006 às 11:39
No fundo a essência da nossa vida é baseada em sonhos e recodações. Ambos movimentam o aninmus, ambos nos transmitem o desjo de continuar ou parar.
Viajar no tempo é o desprender do espaço é levar mais alto o pensamento, é procurar para alem de nós o sentimento, é coabitar no presente.
Fazes isso muito bem e sinto como vives desejas e sentes ao teu redor, pelas palavras os gestos que transmites, pelos gestos, os desejos que ainda tens.
Um beijinho
De Marisa a 2 de Maio de 2006 às 11:42
O desejo comenta a vida. Pode ser? Obrigada pela visita, baci.
De Alexxandra a 27 de Abril de 2006 às 18:45
Olá olá...ai jasus, eu nem sei como comentar este teu artigo...ou melhor, esta tua deliciosa experiência, phoda-se Marisa, que inveja...buáaaaaaaaa, eu quero um amigo "gay" assim...ahahahaha
(estou a brincar). Sabes?..várias pessoas já me disseram que tens um jeito muito parecido com o meu ... eu cá, não acho que seja assim tanto, pois jamais teria coragem de ser tão explicita quanto tu... Fico-me pela brincadeira, pelo imaginário e talvez pelo exagero. O resto faz parte da minha privacidade e ao contrário do que muitos pensam, sou demasiado timida para partilhar desta forma... no entanto, encontro algumas caracteristicas tuas que poderia muito bem me identificar... Espero que isso não te incomode... por isso invejo, para além da tua experiência a coragem de a divulgares... eu quando era moça de escola era tão ingénua que se me acontecesse algo parecido, todos teriam reparado, pois acho que desmaiava quando o sangue me subisse todo á cara e ficasse vermelha que nem um tomate, tal a vergonha que sentiria...palermices de adolescente, enfim...LOL...Adorei simplesmente o teu relato, e se me não me levares a mal, terei a ousadia de dizer, que ainda hoje o tal "gay" te deixa completamente (ai jasus)...húmida, só de pensares....ahahahahah (porra, até eu fiquei...)...ahahahahahahahahahah
Bem Marisa, ainda és pior que eu, vai lá vai... está um must, só espero é que em breve encontres o prazer tão intenso que tiveste na partilha desta experiência...Um beijo enfeitiçado, numa mistura fina de emoções e sentimentos...
De Marisa a 28 de Abril de 2006 às 09:24
Olá Alex, obrigada pela visita! Por acaso se há coisa que em chateia é o 'sou parecida contigo', cada qual tem a sua personalidade e pronto.
Não gosto muito de comparações até porque eu não sou exemplo pra ninguem, mas enfim tambem não é por aí.
Em relação aos 'desenhos de prazer' ainda bem que gostaste e se queres saber um segredo, eu tambem sou timida q.b., as garras de fora são tambem um sinal de timidez, protecção.
Agora há coisas que sabem bem recordar e partilhar desta forma quase anónima, na realidade só ele e eu realmente sabemos quem somos...
Obrigada pelo comentário... tu gostas de escrever... muito!
Ahahahaahah baci per te.
De Carlos a 27 de Abril de 2006 às 17:40
Como será o seu beijo?

Não é só um que desejo

Como será seu abraço?

Não quero que sobre espaço

Como será o seu corpo?

Tocar e beijar será pouco

Como será seu gemido?

Quero ele em meu ouvido

Como será sua mão?

Imagino a maior tentação

Como será o seu peito?

Vou beijá-lo não tem jeito

Como será sua coxa?

só de pensar fico roxo

Chega de tanto pensar

Vamos, vem

Quero ouvir tua voz sussurrar

Que a mim desejas tocar

Venha e me faz suspirar



venha aqui me amar

De Marisa a 27 de Abril de 2006 às 17:51
Carlos, isso é um convite?
Caramba que luxúria... baci
De Zuco o sentimental a 27 de Abril de 2006 às 17:25
Este é daqueles posts que me deixa com um sorriso idiota nos lábios.

Muito bonito, Marisa, muito bonito...

Tudo.

Bola de gelado de limão com bacardi lemon.
(está calor...)
De Marisa a 27 de Abril de 2006 às 17:43
A recordação provoca-me o mesmo.
Que bom que gostaste...
Gelado?
Parece-me bem, eu acompanho sempre! Pra mim de baunilha com chocolate derretido, depois sei como queimar as calorias...
De homem de negro a 27 de Abril de 2006 às 16:05
De facto, nós, os denominados seres humanos, temos o desagradável hábito de julgar os outros pelas aparências...
Gosto especialmente da frase: "nunca ninguém me deu tanto prazer" porque me parece que sobressai a essência do diferente, do, de certa forma, proíbido, do estranho como origem do prazer...
Baci per te, a gente vê-se por aí...
De Marisa a 27 de Abril de 2006 às 16:12
Que bom que gostaste 'homem', eu própria adorei... A frase na realidade resume tudo.
Obrigada pela visita. Baci
De Borboleta a 27 de Abril de 2006 às 16:12
"do estranho como origem do prazer"
acho que passa por aqui sim, pela avaliação inconsciente que uma mulher faz, ao lhe ser proporcionado prazer por um homem que é homossexual.
Ainda hoje, costumo dizer que um dia "gostava de tirar as mariquices a um deles": por isso, pelo estranho.
De Marisa a 27 de Abril de 2006 às 16:15
Quem tirou a quem não sei, mas que foi uma delicia, lá isso foi...
De Borboleta a 27 de Abril de 2006 às 15:26
Nunca se deve julgar ninguém pelas aparências ou pelo diz que disse. Já viste o que terias perdido se tivesses tido o mesmo comportamento dos outros? Pois é, ficavas sem saber como é o verdadeiro prazer ;)
De Vasco__27 a 27 de Abril de 2006 às 15:42
:) sóconsigo sorrir ao ler este "relato" de uma bela aula, sem dúvida... Concordo, "borboleta": don't judge a bokk by it's cover... and thta's that, babe...

Um beijo BIG, simpatica (e talentosa) Marisa
De Marisa a 27 de Abril de 2006 às 16:10
Grazie Vasco, simpático. Beijos...
De Marisa a 27 de Abril de 2006 às 15:43
E que prazer borboleta!
Grata pela visita, beijo grande.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas