Quarta-feira, 26 de Abril de 2006

A dependência da Liberdade

Adoro ser livre e sei que este é também um desejo de todos, agora se sabemos dar o verdadeiro valor à nossa liberdade, se prezamos a nossa liberdade e se percebemos o que é a verdadeira liberdade, bom, quanto a isso terei as minhas dúvidas…

 

A independência é algo que procuramos incessantemente e cada vez mais novos, porque queremos ser ‘donos do nosso nariz’, porque só sendo independentes podemos ser nós próprios com toda a nossa personalidade e carisma, revelando os nossos valores e sobretudo as nossas vontades.

 

Mas ser livre será ser independente?

 

Ou a independência passa pelo físico, pelo palpável, pelo material, pelo carro, a casa, as roupas, as saídas, as viagens e a liberdade passa pelos nossos conceitos, pelas nossas vontades, pelo nosso gosto pela vida.

Pelo amor a nós próprios e à nossa vida!

Há pessoas que são dependentes de outros e no entanto são livres, livres de espírito…

 

Uma pessoa preconceituosa será livre?

 

                       

           

Se calhar não, está dependente de conceitos, de ideais que não a deixam ser livre e deixar também os outros viverem a sua liberdade, as amarras de um preconceito serão por ventura mais fortes que a dependência de alguém ou a alguém.

 

E os tabus deixam-nos ser livres, tendo como barreira aquele assunto ou critério por vezes intransponível?

 

Eu julgo-me livre e reitero essa liberdade, porque tenho o meu espaço e deixo o espaço que os outros têm por direito, mas sobretudo porque estou sempre disposta a novas experiências e opiniões, sou de livre de pensamento, porque não me fecho em conceitos que reprimem, porque procuro sempre o conhecimento e só conhecendo podemos ser livres, respeitando e vivendo de uma forma autêntica, genuína.

E sou independente e trabalhei imenso para ter essa independência, as minhas dependências, ultrapasso-as livremente e só me valem de algo porque também sou livre, ou antes, de que me vale a independência de ter um carro, uma casa, o meu espaço, se depois não sei gerir essa liberdade?

Se depois fico acorrentada ao que a minha independência me deu e fico presa ao que conquistei, a liberdade é superior à independência de nada me vale ser independente se depois vivo para mim e sou tão independente, que só eu me apercebo de tal facto!

Escrito por Marisa às 11:48
Piacere | Grazie
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Piaceres...