Terça-feira, 18 de Abril de 2006

Flute para duas

       Lembro-me de que entraste em casa e vinhas linda, com um brilho especial... subitamente começou a chover…

Aquela chuva miudinha que teimava em bater nas vidraças da cozinha, onde eu estava. Seguiste directamente para a sala e foste consertar a fogueira que eu tinha acabado de acender, segui-te e comentei:

            -Bem, os homens andaram a semana toda a falar do famigerado jogo, o que vale é que ficamos aqui na conversa as duas, hoje não me apetecia nada ir ao estádio.

Voltei para a cozinha e continuei perguntando, como estavas, como ia a relação, não ouvi uma única palavra…

 

Somos amigas desde a infância, sabemos tudo uma da outra, conhecemo-nos por dentro… por fora, passámos por muito juntas e o que não foi a duas partilhámos mais tarde.

A verdade é que a nossa relação já há muito tinha passado a barreira da  simples amizade, havíamos chegado ao nível de cumplicidade em que olhares bastam, sorrisos.

Sempre que precisei de chorar fui a correr para o colo dela, sempre que passou pelos piores momentos, chorámos juntas, mas também rimos imenso, gozámos dos outros, de nós, apanhámos bebedeiras juntas, dormimos agarradinhas, vivemos intensamente as nossas vidas, sempre com mútuo conhecimento. Os nossos amores, as nossas relações sempre tiveram a aprovação da outra.

 

Hoje achei-a estranha.

Passados alguns minutos, chegou-se a mim e perguntou:

            -Estás a beber alguma coisa?

            -Desculpa? Mesmo que estivesse, nunca foste de beber…

            -Bom tira aí uma flute , vou roubar-te um champagne ao frigorífico.

 

Achei-a deliciosamente misteriosa, invulgarmente distante...

Voltou, abriu a garrafa, entornou um pouco, pousou e sem olhar uma única vez para mim, começou:

            -Sabes que ultimamente tenho pensado imenso em nós, na nossa amizade, cumplicidade, nas nossas loucuras e no que nos agrada enquanto mulheres… novas experiências… o fascínio do prazer, a nossa ousadia… a tua sugestão… e decidi… hoje…

 

Olhei para ela com um ar completamente perdido e como se tivéssemos combinado rimos que nem loucas, ruborizámos como se tivesse acabado de me contar uma óptima anedota… ambas sabíamos o que se iria seguir.

Levantou a flute de champagne, deu-me a beber, bebeu e deixou deslizar propositadamente champagne por entre o decote…

Não proferimos nenhuma palavra.

Resolvi desligar o fogão, imaginei que se não o fizesse ia pegar tudo… fomos para a sala, voltou a ajeitar a fogueirae continuava a chover copiosamente...

 

 Para ti, querida Ka...

Escrito por Marisa às 16:48
Piacere | Vero? | Grazie
25 comentários:
De maresia a 21 de Abril de 2006 às 12:21
Parabens pelo teu Blog...transpira sensualismo, erotismor e belas fotos... aparece pele meu tb.
www.Brilhostrelamanha.blogspot.com
Intimidades secretas
>Gostava de ter uma opiniao tua. bjinhos
De maresia a 21 de Abril de 2006 às 12:16
Adorei tua escrita "Flute para duas". Tb comigo aconteceu situação um tanto ou quanto semelhante... Muita sensualidade e erotismos, demarca a tua escrita. Passa pelo meu Blog tb e verás fotos deveras interessantes...
Brilhoestrelemanha
De Marisa a 21 de Abril de 2006 às 14:07
Passarei concerteza, ainda bem que te indentificaste o objectivo é tambem esse. Baci
De pérola negra a 20 de Abril de 2006 às 14:47
Próximos capitulos para quê? Para quem tem imaginação, metade da história chega.
Parabens Marisa...muito mas muito...sugestivo..no minimo! Gostei muito.

Baci
De Marisa a 20 de Abril de 2006 às 14:53
Ainda bem pérola, obrigada pela vista, baci per te!
De Borboleta a 20 de Abril de 2006 às 09:56
Só cheguei agora, mas acho que não vim atrazada. Está óptimo e concordo com o Zuco, pois não são precisos mais detalhes. A imaginação encarrega-se do resto.

Zuco...ai, sai daqui! Não vês que estou eu aqui sentada??
De Marisa a 20 de Abril de 2006 às 10:31
Ahahahahahahhahaha, chegaste mesmo a tempo! Tu não precisarias de ficar no sofá, serias a convidada de honra... Obrigada pela visita, baci per te principesa.
De h_sexy a 20 de Abril de 2006 às 09:09
Continuas a deixar-nos de água na boca com os teus escritos...só me resta esperar pelas cenas do proximo capitulo, aliás, como toda a gente... jinhos
De Marisa a 20 de Abril de 2006 às 09:27
Ahahahahahha, que bom! Obrigada pela visita, baci per te...
De zuco a 19 de Abril de 2006 às 14:39
Optimo!
Dobrava as roupinhas, pegava numa das flutes e deixava-me ficar a apreciar o espectáculo!

(É giro... Consegues imaginar uma cena destas entre dois gajos?)
De Marisa a 19 de Abril de 2006 às 14:48
Ahahahahahahahahah Zuco, então se calhar só havia uma flute, porque a outra te estava reservada!
Imaginar? Vai lendo o que deixo por cá... delicioso...
De Igara a 19 de Abril de 2006 às 14:34
Marisa, como eu penso e sempre digo, a vida brinda-nos todos os dias com coisas lindas. Os sentimentos, se existe dualidade, são as provas mais e evidentes que vale a pena viver intensamente. Gostei do texto e do conteudo, tudo bem escrito e na medida certa. Beijos :)
De Marisa a 19 de Abril de 2006 às 14:46
Que bom que gostaste, são estes pedaços de alma que nos fazem sorrir, sem que ninguem perceba o porquê... Baci per te.
De ZUCO a 19 de Abril de 2006 às 12:04
Continuações da historia? Detalhes, descrições pormenorizadas, planos anatomicos?

Não!

Está muito bem assim!

Só gostava de ter estado sentadinho no sofá do canto...
De Marisa a 19 de Abril de 2006 às 12:36
Ahahhahahahah, a continuação a haver... será um piacre...
No sofá do canto, estavam as nossas roupas... Obrigada pela visita, baci.
De tavares_s@sapo.pt a 19 de Abril de 2006 às 11:19
Uma sequência de sentimentos, amadurecidos com o tempo, como o saudoso Black Bush, bebido em finais de tardes, nas margens do Liffey (até a banda sonora me transporta de novo até lá... saudades...), que vêm na sequência de um comentário meu a um outro texto teu (recordas-te?...)

O prazer prejudica a amizade?! Não vejo o porquê... antes pelo contrário. Quando é 'acessório' à amizade poderá aprofundá-la. Pontenciar a cumplicidade...

Beijos
De Marisa a 19 de Abril de 2006 às 11:26
Recordo sim e agradeço. É bom um simples texto conseguir fazer-nos recordar tanta coisa, vejo que te agradou, fico contente. Espero-te por cá... Baci.
De inconfidente a 19 de Abril de 2006 às 11:00
Erótico e sensual QB. nós mulheres somos um "bicho" impressionante.
Beijo
De Marisa a 19 de Abril de 2006 às 11:19
E soltar o bicho que há em nós é uma delicia inconfidente... Grazie, baci per te

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Piaceres...