Quinta-feira, 19 de Abril de 2007

Mi tango

Não sou uma dançarina exímia, aliás eu nem sei dançar, ahahahahahaha, limito-me a bambolear as ancas e sobretudo a sentir a música, quando ela me toca, quando a noite promete, porque adoro sentir o ritmo a apoderar-se de mim, e se me permitem, faço-o muito bem!

Mas dizia eu, não sendo sequer uma dançarina amadora, há danças que me encantam, que me fascinam e sei que posso passar uma noite inteira a vê-las que nunca me cansarei, como é o tango… especialmente o tango argentino, que charme, sensualidade, elegância, intensidade, fogo…

Chega a excitar-me ver todo aquele ritual, sentir tamanha energia num só espaço, sentir as vibrações da música, perceber o efeito que me causa e a quem ousa dançar a mais sensual das danças…

O tango tem uma linguagem muito própria, um código intransmissível, um erotismo que trespassa a dança em si, toda aquela música é poder.

Os olhares, as posições, os vestidos, a luminosidade, tudo confere mistério e requinte à minha dança preferida… um dia destes num rasgo de loucura sã, entrego-me nas mãos fortes e sapientes de um dançarino que me conduzirá num dos mais inesquecíveis momentos da minha vida…

Por vezes, fecho os olhos, enquanto aprecio um som, como o que deixo aqui ao lado e imagino-me, eu própria dentro de um daqueles maravilhosos vestidos, com o xaile e o cabelo apanhado com uma rosa… depois a leveza, a graciosidade enquanto arrasto um pé e rodopio sobre mim e me chego subtilmente ao meu par e as nossas bocas ficam coladas, sem se tocarem…

 

                  

…e as mãos dele percorrem as minhas costas veementemente e fazem-me rodopiar mais uma vez, passar debaixo das pernas dele e encostar as minhas costas no seu peito arfante… um compasso de espera, respirações entrecortadas… e desta vez vem ele atrás de mim, vou recuando graciosamente os passos, segue-me obedientemente, puxa-me para junto dele e faz-me inclinar, erguendo subtilmente a minha perna, chega-se e quando os nossos odores já estão envolvidos, as nossas respirações em uníssono e os olhos profundamente envolvidos, quando sinto os seus lábios perigosamente junto dos meus… termina a música e o fascínio continua…

 

Escrito por Marisa às 10:54
Piacere | Vero? | Grazie
18 comentários:
De Andre a 20 de Abril de 2007 às 01:45
Bom dia Marisa

Clubes térreos, portas e portadas escancaradas, iluminados pela ajuda da Lua e do borrão de uma velha suada que sentada enrola o ganha-pão.

Três, talvez quatro músicos. Unhas feias, dedos gordos, rostos amarelos, cabelos brilhantes.

E um par por apaixonar, bailando ora dentro ora fora, encantando ao ritmo das notas encarquilhadas pela falta das cores vivas que podemos apenas imaginar na alegria com que as tocam.

Para mim o mais belo Tango está nas ruas, não nos salões. Nos salões encontraria as melhores photos do Tango, mas isso é outra "musica"...

Baci
De Marisa a 20 de Abril de 2007 às 10:10
Bom dia Andre,
Tens razão o verdadeiro tango, dança-se nas ruas de Buenos Aires, que fecham de propósito para isso mesmo.
O contraste entre a pobreza que se vive por lá e a grandeza da música, dançarinos eximios, cheiros fantásticos...
A tua descrição... fantástica!
Obrigada, um beijo.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Piaceres...