Sexta-feira, 22 de Dezembro de 2006

Na lareira...

Acordava bem cedinho, saltava da cama e ajeitava os cabelos, de pijama e peúgas corria para a cama dos meus pais…

Saltava lá pra cima e sem ter que perguntar nada, diziam-me:

-Vai ver junto da chaminé, eu ouvi-o a descer…

Lá bem no fundo eu sabia que estaria lá o meu presente e se calhar até sabia que aquele senhor gordo de barbas brancas, nunca passaria na chaminé, mas às vezes sabe bem acreditar no que queremos acreditar, o sonho pode continuar sempre...

Dava um beijo terno e apertado a cada um e corria para a cozinha, onde estava de facto um embrulho, ficava ali a olhar só para tentar prolongar o momento, que só voltaria a conhecer no ano que vem e depois pegava nele e corria novamente para a cama dos meus pais que já tinham percebido que não iam conseguir dormir mais.

Arranjavam um espacinho entre eles, onde eu me aninhava a mim e ao meu presente e depois aí abria-o… finalmente…

Normalmente era um jogo, ou um piano, ou algo do género, nunca achei muita piada a bonecas e ficávamos ali toda a manhã a brincar com a minha nova aquisição, a discutir como raio teria o pai natal voltado a subir a chaminé e será que tinha trocado de fato pelo caminho, aquele estaria todo preto…

Esses tempos não voltam mais, mas era esse o verdadeiro espírito natalício, é disso que me lembro sempre que penso no natal…

                  

                           

Hoje em dia, continuo a dormir de pijama e peúgas, aliás acho que fico um charme, continuo a acordar com os cabelos todos desgrenhados e continuo a ser curiosa o suficiente para querer muito ver os presentes, não corro para a cama dos pais (óbvio), mas continua a fascinar-me olhar para a lareira com os presentes alinhados, acho que gosto mais da expectativa de ir abrir os presentes, do que dos presentes propriamente ditos, o que gosto mesmo é da surpresa, de não fazer ideia do que lá está dentro, de saber que alguém se esforçou por me comprar algo que julga eu vou gostar.

Desço as escadas a correr, quero lá saber do meu tamanho e da minha idade, quem desce é a criança que permanece em mim, sem chinelos como sempre (desculpa mãe é mesmo feitio, desiste) e quase sempre já tenho a lareira acabada de acender pela minha mãe que me espera sempre, linda, e os presentes alinhados à sua frente… fico ali a contemplar aquele maravilhoso quadro, tenho a certeza de que por breves minutos não haverá nada de mais maravilhoso, as imagens da infância da outra casa, voltam todas ao presente e naqueles minutos tudo me parece perfeito, nada poderia suplantar aquela felicidade… depois abro-os, abrimos todos e acabou a magia… para o ano haverá mais…

 

Para todos um Natal muito feliz, do tamanho dos vossos sonhos!

Escrito por Marisa às 09:50
Piacere | Vero? | Grazie
18 comentários:
De Ca a 5 de Janeiro de 2007 às 13:46
«Não há nada mais triste que uma boneca não brincada», dá que pensar, para quem o faça...

O convívio, a partilha e o carinho são do melhor que o Natal envolve... pelo menos para mim...

O teu texto, deixou-me sem palavras...

Mulher quando tem que ser... criança quando pode ser... que mal tem??!!! Para mim, nenhum.

Um abraço muito, muito apertadinho.
De Marisa a 5 de Janeiro de 2007 às 14:28
Eu sou uma crinaça grande como sabes, dona de umas gargalhadas contagiantes e apesar dos pesares ninguem tem nada a ver com as minhas chatices, prefiro distribuir sorrisos a lamentações, se calhar vem da infancia...

Escrever este texto, fez-me tão bem querida...

Um beijinho sentido.
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 30 de Dezembro de 2006 às 16:25
Ora viva!

É verdade, este ano escapou-se e ainda não foi desta que foi contemplado com um blogjob. Porém, não desanime pois a atribuição destes malfadados prémios ainda não acabou e quem sabe se na próxima vez lhe calha algum. Há que ter fé e também muita paciência para aturar um sacana como eu que vem ao seu blog deixar SPAM. Contudo, sou também um seu leitor assíduo e por isso faço-lhe o convite para conhecer os nossos parceiros bloguistas distinguidos. Esta iniciativa serve tão-somente para divulgar o que de melhor se faz pela blogosfera. Aproveito também para lhe desejar um Feliz Ano Novo e que continue a escrever até que lhe doam as impressões digitais.

Um abraço…
shakermaker
De Marisa a 3 de Janeiro de 2007 às 10:41
Caro Shakermaker !

Sabe eu tenho perfeita consciência de que a sua escolha, além de ser totalmente livre é também muito bem feita, criteriosamente seleccionada e quem sou eu para discordar, ainda que, confesso, tenha um desejo secreto de um dia configurar nas suas preferências, pela qualidade que tem.
Contudo limito-me a escrever por aqui o que sinto e gosto de transmitir e fico muito contente de, de quando em vez ler cá algo seu, que sendo bom ou mau, sei que é sempre sincero.

Muito obrigada, um abraço.
De mfc a 26 de Dezembro de 2006 às 17:37
Acho que perdi em definitivo esse encantamento!
O Natal deixou de me dizer alguma coisa há muito1
Vale pela alegria dos miúdos.

Para ti tudo de bom nesta época e sobretudo que tenhas um enoooorme 2007.
Um beijo.
De Marisa a 27 de Dezembro de 2006 às 09:30
Olá Mcf !
E já agora um brilhante ano 2007 para si, com muitas e belas fotos, como tão bem nos tem habituado!

Quanto ao encantamento, sabe depende sempre de nós, o encantamento parte de dentro ainda que por vezes hajam grandes contrariedades ou porque alguém importante já não está entre nós, ou porque só se consegue ver o espírito consumista, mas ainda que o espírito não seja por si só, pode ser por alguém que está perto de si...
Se calhar o Natal nem tem que lhe dizer nada, você é que tem de tentar vivê-lo da melhor forma, afinal é só uma época.
Mas agora vem aí o reveillon e espero que o passe muito bem e seja o pronuncio de um magnifico 2007, tudo de bom para si.

Um beijo.
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 24 de Dezembro de 2006 às 22:38
Ora viva!

Para mim, o Natal é sempre mau pois tenho que comer bacalhau. Não é por não gostar, mas porque raio tenho que comê-lo cozido se afinal há 1001 maneiras de o cozinhar?! Depois tenho que levar com as broas e as belas das filhós, o arroz doce da minha tia e o pão-de-ló das minhas avós. Detesto lampreia de ovos e odeio rabanadas mas até gosto de bolo-rei por causa das frutas cristalizadas. Antes de começar a refeição fazemos uma oração mas, como não sei rezar, mexo a boca para acompanhar. Por mais que me tente escapar não há mesmo volta a dar pois sou eu que acendo a lareira e ponho a lenha a queimar. Já cá faltavam as meias brancas com as raquetes a condizer pois são sempre as piores prendas que me podem oferecer. Depois há os Old Spice e as colónias da Adidas que recebo todos os anos das minhas tias queridas. Mais uns pares de cuecas azuis para estrear no ano novo porque as minhas avós fazem questão de manter esta tradição. A minha mãe desilude-me com as suas gravatas aos quadradinhos e a minha madrinha, para condizer, oferece-me camisas com quadrados nos colarinhos. Por mais que não goste, tenho que estar presente mas todos os anos o meu Natal é sempre deprimente. Sendo assim, espero que o seu Natal seja bem melhor do que o meu.
Boas Festas!

Um abraço...
shakermaker
De Marisa a 26 de Dezembro de 2006 às 09:57
Bom...
Caro Shakermaker, antes de mais muito obrigada pelo comentário às 22:38, ou já tinha jantado ou de facto sou alguem que merece essa grande honra da sua parte, seja como for muito obrigada.
Agora o seu Natal, pois dito dessa forma não me parece lá muito encorajador, mas deixe-me ajudá-lo...
Lá em casa a tradição é mesmo caras de bacalhau, umas coisas pegajosissimas, mas eu safo-me sempre com um pato assado no forno com laranja, do mal o menos.
Agora os presentes, não tive peúgas, mas tive aquelas pérolas que são bugigangas para decoração e que já reenviei para a reciclagem e tive bonbons, pois claro Natal sem bonbons não deve ser Natal.
Caro Shakermaker agora vem lá o Reveillon e isso sim, é uma grande chatice...
Muito obrigada, pela presença pela simpatia e sobretudo pela forma perspicaz como me comenta.

Um ano 2007 repleto de concretizações e vitórias.

Um beijo.
De cheiodetesão a 23 de Dezembro de 2006 às 21:52
:)

Um beijinho de Bom Natal, com sabor a filhós (ou filhoses, tanto faz), com muito açúcar.

Olá Marisa, faz bem, ler-te...
De Marisa a 26 de Dezembro de 2006 às 09:49
Cheio de tesão!
É sempre tão bom ver-ter por cá, és um cavalheiro.
Muito obrigada meu amigo, um ano 2007 Brilhante, para ti!!!

Fazes bem...
De homem de negro a 22 de Dezembro de 2006 às 16:39
Olá...
Cara amiguita, gostei muito deste teu texto tão cheio de nostalgia e carinho, enterneceu-me encontrar a outra marisa que eu adoro e que me encanta, o ser humano por detrás do resto...
Um beijo vadio, enorme, do tamanho que desejares... Um Bom Natal e um Feliz Ano Novo...
A gente vê-se por aí...
De Marisa a 22 de Dezembro de 2006 às 17:59
Homem!
Tão bom ver-te cá, sabes que pensei no teu menino quando escrevia este texto, não deixes que morra a magia, ainda que seja de faz de conta é bom acreditar.
Uma noite muito especial para vós, um dia fantástico.
Beijokas.
De Lucifer119 a 22 de Dezembro de 2006 às 13:54
...:)))))))) Como tamanha e tão terna nostalgia não dá para comentar, deixo-te aqui lenha para que essa tua lareira s`aguente acesa de lume vivo e assim o teu Natal possa estar emocionalmente aquecido pelo fogo das palavras, crepitando sentimentos felizes na alma dos teus sentidos.
....:))))))))))) E sonos mágicos, com o presente de um beijo! Lucifer119
De Marisa a 22 de Dezembro de 2006 às 17:57
Lucifer, que boa visita.
Adorei o comentário, a metafora e espero aproveitar tudo o que deixas aqui.
a chama estará com certeza acesa!
Tudo de bom tambem para ti, muita magia nesta noite que se quer mágica...
Beijo da Marisa.
De Vitor a 22 de Dezembro de 2006 às 12:57
Pensavas que eu vinha aqui desejar-te um bom natal não era???

Pois enganas-te!!!

Estou aqui para te desejar um Natal porreiro e um novo ano com alguma prosperidade, e tal!


Abreijos!
Senhor Mal
De Marisa a 22 de Dezembro de 2006 às 17:54
Ó Vitor enganaste-me mesmo pá!
Ía jurar que vinhas cá desejar-me feliz Natal e por aí fora, mas não fazes algo de absolutamente inédito e surpreendes-me dessa forma fantástica!
Estou esmagada!!!
Nem consigo dizer nada... quer dizer... pra ti tambem...

Beijinhos e abraços, que eu digo tudo como deve ser.
De apenasMadalena a 22 de Dezembro de 2006 às 12:35
Olha hoje por falata de tempo ñ irei comentar o teu post, apenas direi q gostei mt :)
Passei para te desejar umas boas festas com tudo do melhor e muita muita magia!!!
Até pró ano!!
Bjokas gandes
Madalena
De Marisa a 22 de Dezembro de 2006 às 17:51
Madalena!
Muito obrigada pela visita, e sobretudo pela simpatia constante com que me comentas.
O desejo de tudo de muito bom e feliz para ti.
Um beijo apertadinho.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas