Terça-feira, 28 de Novembro de 2006

Foi… lindo!

Começo talvez pelo fantástico duche que antecedeu, a esperada noite…

Um duche rápido, intenso, erótico, revigorante, sensual, nosso, fui provada da melhor maneira e adorei, uns dedos maravilhosamente suaves e incisivos, uma língua sedenta de mim, como me gosta essa língua… e depois esses braços fortes e convincentes que me seguram contra as paredes frias do poliban e só me desamparam quando percebem que mais uma vez presenciaram um magnífico e delirante orgasmo…

Saí do duche ainda ofegante, mas a noite só estava a começar…

A roupa estava separada em cima da cama, os sapatos cuidadosamente depositados no tapete e o perfume à minha espera, limpei-me… limpámo-nos, penteaste os meus cabelos, adoro quando o fazes, consegues ser mais cuidadoso que eu, olhas-me com tamanho brilho nos olhos que o meu ego chega a inchar, ahahahaha.

Passaste o creme nas minhas pernas minuciosamente, e ver-te assim nu, ainda brilhante a tratar de mim faz-me perceber que sou uma grande felizarda.

Perguntas-me se está bem e eu beijo-te, porque nunca nenhuma palavra conseguirá exprimir este sentimento, esta vontade, este desejo, esta admiração, abraças-me e eu percebo que estás frio, visto-te os boxers, que adoro e já me acolheram algumas vezes, depois as calças e a camisa bourdeaux, meu deus que camisa que é um tesão…

Desces e vais acabar de te arranjar… agora eu…

 

                      

O string, os collants de liga, o soutien, a saia, o corpete, perfume e desço também, encontramo-nos de novo na casa-de-banho, olhamos um para o outro e apreciamo-nos, ambos conhecemos demasiado bem o nosso interior, devo dizer que tive de conter-me, quis foder-te logo ali e sei que um só olhar me trairia…

Coloquei sombra, eye liner, rímel, blush e baton e tu ajeitavas o cabelo de forma desajeitada, enquanto olhavas pra mim através do espelho e quase hipnotizado, seguias os meus passos…

Saímos ao mesmo tempo da casa-de-banho, fomos calçar-nos e quando me levantava depois de apertar a fivela no tornozelo, percebi que olhavas fixamente para mim…

Não dissemos uma só palavra, não era preciso, o nosso olhar bateu um no outro, um sorriso denunciou o meu desejo, o teu perfume excitou-me de tal forma que quase se tornou doloroso segurar-me…

Agarraste nas minhas ancas, colocaste-me em cima da mesa de jantar e eu baixei-me, afastaste as minhas pernas, o string e voltaste a provar-me, humm, que delicia, os seios imploravam-me para sair de dentro de um corpete demasiado apertado, puxei-te até mim, beijei-te avidamente e sujei-te de baton, desabotoei os teus botões, baixei os boxers só o suficiente e juro-te, se esperasse mais um só minuto morreria… senti-te, sentimo-nos, abracei as tuas costas com as minhas pernas, entrelaçámos os dedos e em poucos minutos caíste em cima de mim, os corações batiam como loucos, deixei de sentir as minhas pernas, os sapatos estavam apoiados no teu rabo…

-Estamos atrasados…

-Pois estamos…

-Preciso ir lavar-me…

-Espera, eu vou contigo!

-Ahahahahahaha, vou ligar-lhe a dizer que ainda demoramos mais uma hora…

Escrito por Marisa às 15:35
Piacere | Grazie
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Piaceres...