Terça-feira, 21 de Novembro de 2006

Mergulhar dentro de mim...

Coloquei o dedinho do pé dentro de água e arrepiei-me toda…

Mergulhei o pé, depois o tornozelo, a perna… a água não podia estar melhor… soltei os cabelos, deixei cair o kimono e entrei…

Hummmm, já tinha esquecido como é bom.

Bem devagarinho como se dum ritual se tratasse, recostei-me na banheira que me acolhe sempre que estou… assim, sempre que o corpo precisa de uma alma, sempre que o frio parte de dentro pra fora, sempre que o tempo pode parar pra mim.

Brinquei com a espuma, contornei um corpo adormecido, encarquilhei os dedos dos pés e mergulhei.

Debaixo de água o silêncio tem outro sentido, o mundo torna-se irrelevante, a existência assume toda a importância... fazia-me falta.

Voltei à vida, olhos cheios de espuma, cabelos encharcados, corpo quente… muito quente, não abri os olhos… nem podia ou iam arder… assim mesmo, voltei a tocar com um dedo no meu mamilo, fica uma delícia assim fora de água, orgulhosamente rijo, rosado, presente, erótico, apetecível… meu.

Desafia-me assim mesmo pelo que é, e eu não resisto, lambi-o, apertei-o e ele desencadeou toda uma excitação que adoro sentir, que adoro me domine e não ouso perder por nada.

 

           

Mais água quente a correr, que esta ameaçava esfriar, mais sais de banho e um ‘mon cheri’, ahahahaha, gosto de comer no banho…

A água escondia quase na totalidade o meu corpo e o meu paraíso estava agora submerso, as mãos mergulharam, o ar estava abafado o que fazia adensar a respiração, ou seriam os dedos a descer o umbigo?

Um dedo no clítoris, uma perna a roçar noutra, outro dedo na virilha, gosto de brincar com as minhas virilhas, são algo de profundamente excitante que não gosto de desperdiçar, peguei na esponja de banho reguei-me com mais espuma que caía fria sobre o peito e sabia escandalosamente bem.

Voltei a descer a mão e desta vez entrei em mim, decidida a ter um maravilhoso orgasmo ali mesmo, desejosa de lavar-me com o meu próprio mel, ansiosa por ouvir-me a gemer de mim…

Escrito por Marisa às 18:09
Piacere | Vero? | Grazie
19 comentários:
De Ca a 28 de Novembro de 2006 às 23:29
Essa foto, divina... Enfim.. Adiante...

O texto sabou-me a «mel»!

:)))

É tão bom ler-te!

Beijoca meiga
De Marisa a 29 de Novembro de 2006 às 09:40
Sim a foto é inspiradora, sem dúvida.
O texto... sou eu e tu sabes.

O meu vero piacere.

Adoro-te...
De homem de negro a 23 de Novembro de 2006 às 17:19
Olá...
Dedos marotos de amor feitos, que bem sabem quando se juntam ao elemento água... E que tal o carinho de um chuveiro?
Um beijo vadio, a gente vê-se por aí...
De Marisa a 24 de Novembro de 2006 às 11:40
Again?
Anytime!

Baci per te ragazzo bello.
De homem de negro a 23 de Novembro de 2006 às 17:19
Olá...
Dedos marotos de amor feitos, que bem sabem quando se juntam ao elemento água... E que tal o carinho de um chuveiro?
Um beijo vadio, a gente vê-se por aí...
De Marisa a 24 de Novembro de 2006 às 11:39
Olá Homem, bela visita a tua e em duplicado... hummm.
Pois os meus dedos, são tambem os meus piaceres.
No chuveiro? Ahahahahah, lê o texto seguinte!


Beijos, vemo-nos sempre.
De Lobaaaaaaaaaaaa a 23 de Novembro de 2006 às 16:38
Marisa,

Muito obrigada. Não conhecia. Ouvi e gostei muito.

O teu post... como sempre, excitante!

Beijos mil em tu :)
De Marisa a 24 de Novembro de 2006 às 11:38
É linda a música, depois de tanto tempo ainda me consegue emocionar de cada vez que a oiço...

O meu post... pois, sou eu!

Obrigada amiga, beijão.
De INpulso a 23 de Novembro de 2006 às 11:19
...Ponho a música linda, no ar, a melodia foi escolhida, para se misturar com esta sensação de te ler, e tu, a delirar....hummmmmmmm gosto......
De Marisa a 23 de Novembro de 2006 às 11:35
INpulso...
Ouçamos então e partilhemos este prazer que é sentir-nos em pleno...
De Dossier_de_argolas a 22 de Novembro de 2006 às 14:49
Dedinho malandro o seu, Marisa! Entrar dessa forma dentro de si...onde já se viu tal coisa? O dedo gostou? Faço ideia....deve ter chorado por mais! Mas não...os dedos não choram.
Pois prezo o trabalho desse deo, chegando mesmo a invejá-lo! Que feio sentimento este. Mas que quer? É assim mesmo.....
De Marisa a 23 de Novembro de 2006 às 10:24
Ahahahahah olá Dossier, sempre um prazer imenso lê-lo por cá.
Sabe que os meus dedos são muito bem estimados, fazem as minhas delicias e como tal são orgulhosos e sabem o valor que têm...
Sempre bem humorado nos seus comentários, gosto da forma como me aprecia.
Um beijo imenso para si.
De mfc a 22 de Novembro de 2006 às 12:55
O prazer solitário partilhado é uma atitude de coragem.
Quem o não faz?
Quem o confessa?!
Toma um beijo.
De Marisa a 22 de Novembro de 2006 às 14:28
Para mim caro mcf, partilhar aqui, é uma atitude de libertação, de entrega, de exposição do que de mais intimo tenho...
Quem o não faz? Quem nunca percebeu o seu valor.
Quem o confessa? Quem encontra nestes momentos verdadeiros paraísos...

Agradeço o beijo e deixo-lhe tambem, um de agradecimento!
De ZePedro a 22 de Novembro de 2006 às 12:01
Mergulhar em nós é bom
Sentirmo-nos bem é bom
Provocarmos o nosso prazer é bom
Mas é apenas bom
Devemos sempre procurar o melhor
E pegando na tua banheira cheia de espuma
Relembro momentos passados
Numa banheira
Com espuma
Com companhia
E aí sim, vem o prazer
Mas um prazer partilhado procurado pelos dois
Um no outro
Suave, lento, molhado mas desejado
Isso sim é bem melhor que bom
Beijo com espuma

De Marisa a 22 de Novembro de 2006 às 12:12
Não discordo em nada, mas continuo a adorar prazeres solitários...
Por vezes ninguem nos consegue entender melhor que nós, tudo o que seja exterior a nós incomoda, só consegues ter e dar prazer a outros quando te reconcilias contigo...
Obrigada, baci.
De cheiodetesão a 21 de Novembro de 2006 às 21:26
Bem...

Que é que um homem, simples ainda por cima, como eu sou, pode fazer, depois de ler tão rico e apetitoso post?!

Que dizer das "malvadezas" que fazes aos biquinhos das tuas maminhas, coitadinhos deles, tão indefesos perante as arremetidas de uma língua fogosa e cheia de... apetite?!

E de pele arrepiada?! E do dedinho, não sei quê, não sei que mais?!

Ai ai... há tesões que vale a pena ter. A que sinto neste momento é uma delas!

Olá Marisa, um beijinho molhado... da água do banho, claro!
De Marisa a 22 de Novembro de 2006 às 11:07
Ahahahahahahah, olá...
Este um daquelas textos em que me limito a descrever sensações, piaceres, coisas muito nossas que nos deliciam, nada de muito elaborado mas infinitamente sentido.
Sabe tão bem ler o nosso prazer... excita.

Obrigada, beijinho.
De cheiodetesão a 23 de Novembro de 2006 às 12:10
Claro que excita...
Bom dia, Marisa.

:)

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas