Segunda-feira, 18 de Setembro de 2006

Paraíso

Acordei cheia de frio…

Começava a escurecer e eu estava completamente esfomeada, olhei-o e ainda dormia, tão sossegado, mas sempre dono e senhor da minha cama, deitado de barriga para baixo, pernas levemente abertas, braços, um para junto de mim, outro junto à nádega, que visão linda.

Terei ficado ali alguns minutos a contemplar aquele momento perfeito de simplicidade.

Afinal tínhamos o dia combinado e acabámos por nem sair de casa, enquanto nos vestíamos para ir almoçar a casa da minha mãe, o desejo apoderou-se de nós, a paixão falou mais alto e acabámos na cama, novamente nus, a fazer amor durante horas que pareceram segundos, numa dança sincronizada, em que até palavras nos atrapalham os pensamentos e sentimentos… quando demos por nós… era demasiado tarde, e recomeçámos, acabámos completamente exaustos, vencidos pelo cansaço, mas felizes e completos, adormecemos ali mesmo…

Continuava arrepiada… levantei-me bem devagarinho, vesti a sua camisa preta que adoro, e dei por mim a cheirá-la, mais do que o perfume que ele coloca é o seu próprio cheio, acho fiquei instantaneamente excitada… ahahahahahahaha.

Abotoei cada botão, lentamente em frente ao espelho da cómoda, como se se tratasse de um ritual, apanhei os cabelos com um gancho e resolvi ir à cozinha preparar algo para o nosso… almoço.

Preparei uma salada de frutos do mar, já na cozinha, e algumas frutas em pedaços, mais um champanhe e voltei para o nosso ninho, com uma bandeja…

Pousei-a cuidadosamente e fui levantar um pouco a persiana para aproveitarmos o fim de dia.

Quando voltava finalmente para junto dele, percebi uns olhos felizes e brilhantes:

-Que horas são paixão?

-Ahahahahaha, também estás com fome?

-Completamente esfomeado.

-Espera- Fui buscar a bandeja à cómoda – preparei algo rápido para comermos.

-Já ligaste à tua mãe?

-Não, quando ligar voltamos a ligar-nos ao mundo, depois… preparei uma salada de frutos do mar e fruta.

-Delicia, vamos comer para a varanda.

-Mas começa a ficar frio.

-Eu já te disse que ficas um tesão dentro da minha camisa?

-Tu não, os teus olhos disseram-mo instantaneamente.

Levantou-se, vestiu os boxers, foi ao roupeiro buscar um cobertor, abriu a sacada da varanda, puxou o cadeirão de verga para um canto e colocou o cobertor em cima.

-Anda, trás a bandeja, ficamos aqui a comer e a ver o pôr-do-sol, enroladinhos no cobertor.

 

              

Os meus olhos ganharam nova vida, ficar ali, enroscada a ele e os dois num cobertor a saborear os frutos do mar, e o champanhe, e a fruta, e a vida, e o pôr-do-sol… não consigo imaginar nada melhor, nada mais feliz… depois de uma tarde de amor, depois de um sono feliz e tranquilo… o paraíso está em todo lado, cabe-nos a nós proporcioná-lo…

-Já te disse que ficas uma estampa dentro dessa camisa?

-Mas depois de comermos, vais ter que ma tirar…

-Nem discuto… ahahahahahahaha

Escrito por Marisa às 10:12
Piacere | Grazie
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Piaceres...