Quinta-feira, 6 de Julho de 2006

Numa destas manhãs...

Numa destas manhãs, tomava um café numa esplanada, num dia triste, escuro, fresco e ventoso.

Bom a única coisa que estava nessa esplanada era mesmo o meu corpo, que já o pensamento vagueava bem longe dali, e nem mesmo eu sei muito bem por onde!

Eu estava precisamente como o tempo, sentia-me perdida, provavelmente de mim, definitivamente não seria um bom dia… devo ter mexido o adoçante com o café, durante tanto tempo, que já nem me recordava se o teria colocado ou não.

A verdade é que fui tomar aquele café, sozinha, porque seria insuportável a minha companhia para quem quer que fosse, aliás eu não queria falar, ou rir, só ficar pra ali…

-Marisa?

Nem me dei ao trabalho de levantar o olhar, aquela abordagem teria de ser fugaz, queria mesmo estar sozinha.

-Quem deseja saber?  

Disse, continuando a olhar pra chávena da qual já conhecia todos os pormenores mais ínfimos.

-Miguel…

Fiquei imediatamente arrepiada e nem sequer foi por causa do tempo, o bolero que trazia por cima dos ombros era suficiente pra me proteger daquela aragem… mas não da emoção de rever alguém tão especial…

A minha expressão ao olhar pra ele foi tão incrédula que o fez sorrir.

-Miguel? Há quanto tempo, tudo bem?

-Posso sentar-me?

Que fazer, tinha ido tomar um café pra ficar envolta nos meus pensamentos e agora tinha que optar entre esse desejo, ou a vontade de estar de novo com o Miguel.

-Sabes que eu não estou aqui sozinha por acaso, é propositado… mas senta-te.

-Ai sim, e queres mesmo que me sente?

-Claro, não vou deixar-te ir embora, agora que te encontrei.

-Como estás?

-Bem!

-Que engraçado terminámos o liceu e nunca nos tornámos a ver, ainda te mandei uns postais…

-Que eu ainda hoje guardo…

-Ahahahahaha, foste muito especial pra mim. Mas o que se passa, porquê este café sozinha?

-Nada em concreto, apenas o gosto de estar comigo, sozinha, as coisas simples da vida e os pensamentos têm outro valor, com todo o stress do quotidiano esquecemo-nos tantas vezes de nós próprios.

-Bem visto! E sendo que já terminaste o café e que eu não vou tomar, posso convidar-te para um passeio, como aqueles que fazíamos, quando saímos da escola?

-Ahahahahah, tu ias para um lado eu para outro e encontrávamo-nos cinco minutos depois no local do costume…

-Que saudades.

-Óptimos tempos aqueles, vamos então…

-Mudei de cidade e venho cá muito raramente, na verdade não há ninguém me faça voltar cá, nem amigos como sabes…

-Sei, os que eu tenho também não são do liceu, são os que vou encontrando pela vida fora.

-Eu não vim cá sozinho…

-E onde está ele?

Como sempre a minha frontalidade a ser inconveniente, o Miguel ficou tão roborizado que por momentos pensei que me deixasse por ali e seguisse apressadamente.

-Ele?

-Desculpa, a minha impulsividade teima em não mudar, como vês.

-Mas é disso que sempre gostei em ti, lembras-te quando me perguntaste, se eu não gostava de rapazes? Pois foste a única a fazê-lo, os outros preferem julgar, gozar, tirar impressões e julgarem-se muito melhores. Olha ele está à minha espera, queres conhecê-lo?

-Claro!

-Então vamos, eu já lhe falei imenso de ti, como calculas foste a única mulher…

-Eu sei… para quem queria passar uma manhã solitária e melancólica, parece-me que isto vai ser um dia bastante intenso…

-Ahahahahaah, pois vai, ele tem um sentido de humor bastante apurado, como teu…

-É mesmo o que eu preciso!

-Preparada para novas experiências?

-Que te parece?

Escrito por Marisa às 09:30
Piacere | Grazie
De Dossier_de_argolas a 7 de Julho de 2006 às 09:45
Recordou-me o verso da canção ..."make me pure, but not yet"! Highscholl moments, antes, durante ou depois das aulas...
Rebobinando um pouco mais o filme, até ao inicio da puberdade, aparecem aquelas recordações da 1ª namorada, o encontro às escondidas no parque, o mostrar envergonhado do sexo. O que traz novo verso..."disseste que se eu fosse audaz, tu tiravas o vestido...o prometido é devido!"
Va benne Marisa...una bella cancione! ... e um beijo.
De Marisa a 7 de Julho de 2006 às 09:48
Os teus comentários são sempre peculiares, trazem sempre algo de novo aqui, o que me agrada sobremaneira.
É muito bom, recordar e fazer recordar esses belos belos tempos que não voltam...
Grata pela visita, e belos comentários...
Un bello ragazzo tue...
De Dossier_de_argolas a 7 de Julho de 2006 às 11:39
Cara (por favor, leia este 'cara' com pronuncia italiana e nunca brasileira)...
Um dossier_de_argolas é, em si mesmo, uma peça peculiar nesta época digital em que convivemos. Por isso só guarda coisas peculiares. Daí, dele só poderem sair peculiaridades. Agrada-me que estas lhe agradem.
Quanto às recordações que não voltam mais, surge-me novo verso peculiar (embora catalogado de pimba)... 'há muito muito tempo, eras tu uma criança, que brincava no baloiço e ao pião...tinhas tranças pretas, e caçavas borboletas'.
E não faz mal que não voltem, pois impediriam de criar novas recordações...
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas