Quinta-feira, 1 de Junho de 2006

Mulher

Não quero uma mulher
Que seja gorda ou magra
Ou alta ou baixa
Ou isto e aquilo.

Não quero uma mulher
Mas sim um porto, uma esquina
Onde virar a vida e olhá-la
De dentro para fora.

Não espero uma mulher
Mas um barco que me navegue
Uma tempestade que me aflija
Uma sensualidade que me altere
Uma serenidade que me nine.

Não sonho uma mulher
Mas um grito de prazer
Saindo da boca pendurada
No rosto emoldurado
No corpo que se apoie
Nas pernas que me abracem.


Não sonho nem espero
Nem quero uma mulher
Mas exijo aos meus devaneios
Que encontrem a única
Que quero sonho e espero
Não uma, mas ela.

E sei onde se esconde
E conheço-lhe as senhas
Que a definem. O sexo
Ardente, a volúpia estridente
A carência do espasmo
O Amor com o dedo no gatilho.

Só quero essa mulher
Com todos seus desertos
Onde descansar a minha pele
Exausta e a minha boca sedenta
E a minha vontade faminta
E a minha urgência aflita
E a minha lágrima austera
E a minha ternura eloquente.

Sim, essa mulher que me excite
Os vinte e nove sentidos
A única a saber
O que dizer
Como fazer
Quando parar
Onde Esperar.

Essa a mulher que espero
E não espero
Que quero e não quero
Essa mulher porto esquina
Que desejo e não desejo
Que outro a tenha.

Que seja alta ou baixa
Isto ou aquilo
Mas que seja ela
Aquela que seja minha
E eu seja dela
Que seja eu e ela
Eu ela eu lá nela
Que sejamos ela.

E eu então terei encontrado
A mulher que não procuro
O barco, a esquina, Você.
Sim, você, que espreita
Do outro lado da esquina, no cais,
A chegada do marinheiro
Como quem apenas me espera.

Então nos amarraremos sem vergonha
À luz dos holofotes dos teus olhos,
E procriaremos gritos e gemidos
Que iluminarão todas as esquinas.

Será o momento de dizer
Achei/achamos amei/amamos
E por primeira vez vocalizar o
Somos, pluralizando-nos
Na emoção do encontro.

Essa a mulher
que não procuro
nem espero.
Você, viu? Você!

             Bruno Kampel

Escrito por Marisa às 09:28
Piacere | Vero? | Grazie
|
21 comentários:
De Ca a 15 de Julho de 2006 às 04:36
É em momentos como este que me sabe bem, mas mesmo bem ser mulher!

Confesso que apesar de me sentir lisonjeada por ser mulher... pessoalmente só mudaria mulher para homem... e estaria descrito o meu maior sonho! Deslumbrante...

Concordo plenamente... Estou de veras encantada.
De Noite a 5 de Junho de 2006 às 10:10
Mulher, criação divina, arte e magia, nos contornos suaves de um corpo fresco, que mata a sede, alimenta os sentidos e completa a alma.
De Marisa a 5 de Junho de 2006 às 10:21
Tão simples e tão verdadeiro.
Espreitei o seu blog, interessante...
Grazie, baci.
De Zuco a 5 de Junho de 2006 às 09:23
Eu queria uma mulher que voltasse a sorrir e que não estivesse constantemente com dores.
De Marisa a 5 de Junho de 2006 às 09:35
Pois é, em alturas destas o básico é o essencial, ter a tua Zuca de volta basta!
Mas ela vai melhorar, eu sei...
Beijinho terno pra ti e enorme pra ela!
De Carlos a 3 de Junho de 2006 às 08:30
Me morde os lábios
Me suga a boca!


Gosto desse teu jeito sério
Que de repente me deixa louco

O teu beijo é gostoso
Devora e machuca
Mas é assim que eu gosto
E fico maluco!

Beija-me mais
Acabe comigo
Pois é assim que eu gosto
De estar contigo!

De Marisa a 3 de Junho de 2006 às 17:11
Como sempre arrebatador Carlos, profundamente sensual, merecerei eu tanta dedicação como a que dispõe de cada vez que me comenta?
Grazie, baci...
De Imperfeita a 2 de Junho de 2006 às 13:56
De silabas de letras de fonemas
se faz a escrita. Não se faz um verso.
Tem de correr no corpo dos poemas
o sangue das artérias do universo.

Cada palavra há-de ser um grito.
Um murmúrio um gemido uma erecção
que transporte do humano ao infinito
a dor o fogo a flor a vibração.

A poesia é de mel ou de cicuta?
Quando um poeta se interroga e escuta
ouve ternura luta espanto ou espasmo?

Ouve como quiser seja o que for
fazer poemas é escrever amor
a poesia o que tem de ser é orgasmo.

José Carlos Ary dos Santos

Bem haja...
De Marisa a 2 de Junho de 2006 às 14:20
Nada a acrescentar, um génio das palavras.
Grata, volte!
Baci.
De Dossier_de_argolas a 1 de Junho de 2006 às 16:42
(2º comentario em dois posts seguidos no mesmo blog!! Estou espantado comigo!)

Todos pensamos procurar o mesmo, o Kampel escrveu-o assim, e elas "andem aí". O problema é que, cada vez que aparecem....o nosso querer muda. Será assim? Hmmmm...ou o nosso querer mantem-se mas elas, "que andem aí", mudam? Ou as duas coisas?
Ou então...será que a poesia é mais facil que a vida? Vai na volta, é isso.

Ciao bambina (pizza, pasta, cosa nostra, Laura Pausinni....e é tudo o que sei de Italiano)... vero!!
De Marisa a 1 de Junho de 2006 às 17:38
Estás a habituar-me mal.
Muito profundo, merece reflexão...
O Eros Ramazzotti, tambem é Italiano!
Baci per te ragazzo.
De Dossier de Argolas a 2 de Junho de 2006 às 09:44
Anche tutti noi il sapiamo, solo alqune di noi lo escutiamo. Il risultato non è il megiore per mio prestigio.
De qualquer forma, gosto do Eros, do Ramazzotti e da moça que canta com ele...especialmente! MAs Ramazzotti faz-me sempre lembrar distrubuição alimentar...
Va benne, ragazza...baci per te!
De Marisa a 2 de Junho de 2006 às 09:55
Tu parle bene lo italiano...
Sim de facto a Anastasia, é bem mais interessante eu diria do ponto de vista vocal, mas não esquecendo do ponto de vista peitoral...
Pois azeitonas ou pikles ramazzotti, ahahahahah.
Baci per te coure...
De MSDOS a 1 de Junho de 2006 às 15:25
Magnifico...


As palavras quando confrontadas com momentos de prazer deixam de fazer muito sentido!
De Marisa a 1 de Junho de 2006 às 15:27
Mas não confundamos, há a intensidade das palavras e a intensidade dos actos e do prazer neles implícito ! Grazie , baci per te...
De Frog a 1 de Junho de 2006 às 12:47
Belo, intenso, sensual... senti cada palavra tocar-me como uma suave caricia!...
A Mulher é a substância de todas as coisas!...

Um beijo Marisa
De Marisa a 1 de Junho de 2006 às 12:55
Pois é, a mulher é tanto, que nem ela sabe...
Mas é bela e intensa e poderosa...
Que bom que gostaste, visitarte-ei...
Baci.
De enbuscadafelicidade a 1 de Junho de 2006 às 10:16
Cada vez tenho mais orgulho em ser mulher!!!!
É lindo!!!!

Parabens pelo blog...

Beijo
De Marisa a 1 de Junho de 2006 às 10:30
Mas só podemos ter orgulho em ser mulheres, afinal somos uns seres deslumbrantes, cheios de mistérios quem nem nós desvendamos...ahahahahahaha
Obrigada!
Baci per te...
De homem de negro a 1 de Junho de 2006 às 09:43
Sim, também quero isso tudo numa mulher, também quero ter uma mulher assim, uma mulher que no fundo já tive mas que, por um lado, mandei embora e, por outro, quis ela própria partir em busca de outra vida...
Cara Marisa, se autorizares, um dia destes abafo este poema para o meu blog, é daqueles textos que exprime tudo o que sinto e às vezes não sei dizer...
Baci per te, a gente vê-se por aí...
De Marisa a 1 de Junho de 2006 às 09:48
Olá homem, grata pela visita! Como vai isso? Eu também gosto imenso do poema, diz tanto não é, se te agrada podes com certeza colocá-lo no teu blog, não esquecendo nomear o autor... Baci per te.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas