Quarta-feira, 17 de Maio de 2006

Enigmas de fascínio

Eu sou enigmática, ou melhor, gosto de pensar que sou!

Acho que ser imprevisível, deixar as coisas por onde me apetece, criar mistério, aguçar a curiosidade, deixar antever sem mostrar, sorrir com ar de ‘espera pra ver’, ou de ‘cabra’ que é uma palavra utilizada para frequentemente descrever as mulheres mais ousadas ou destemidas, torna as pessoas e nomeadamente as mulheres mais interessantes…ahahahahahahah.

Uma mulher que se torna fácil, previsível, que se manipula facilmente, que aceita tudo o que lhe dizem ou fazem, que não contrapõe, que não ousa expor o que pensa ainda que todos vão ficar contra ela, que mostra tudo o que deve e não deve mostrar, que esbanja toda a sua vida, os seus pensamentos, as suas opiniões e que não tem vontade própria, rapidamente perde o seu encanto.

É tão gostoso ouvir, ‘não há quem entenda as mulheres!’ ahahahahahaha

Os enigmas ou mistérios que criamos, seja através da nossa personalidade, através das nossas atitudes ou gestos podem ser contrastantes, radicais e surpreendentes, criam uma insegurança deliciosa, um fascínio, uma curiosidade, fazem querer muito descobri-nos, saber se é verdade, se de facto somos o que dizemos ou mostramos, se o nosso desinteresse é genuíno, se teremos garra para tanto, se a nossa audácia será mesmo infinita e se teremos o estofo ou desprendimento que aparentamos.

Em suma querer muito tomar-nos o pulso!

 

         

O fascínio das mulheres, porque falo de mulheres e porque também eu tenho esta admiração por elas e já agora esta vertente, é que algumas sabem de forma sublime, surpreender, criar expectativas, fazer acontecer o imaginário e as mentes pecaminosas, deslumbrar com a antevisão do que será e com um véu que teimamos em manter.

Porque assim que saibam o que paira pela nossa mente, as nossas limitações, os nossos pensamentos, como nos ‘controlar’, aí perdeu-se o encantamento porque já se saberá como nos abordar, como nos conquistar e a conquista é descoberta…

Eu gosto de pensar naquela imagem da mão a agarrar areia, se a agarrar de forma veemente, a areia escorrega por entre os dedos, se deixar a mão demasiado aberta a areia cairá livremente, as pessoas também devem ser assim, tomadas com alguma contenção, algum cuidado.

Gosto da ideia de que há uma linha ténue que muito raramente deixo transpor e se o fazem pois terei que criar outras para que o interesse, o fascínio não se desvaneça.

Assim terão sempre várias partes de mim, várias visões, vários estados de alma e a permanente descoberta que faz com que tenham sempre algo por encontrar e é também uma forma de me tentar superar…

O desafio parte de nós…

Escrito por Marisa às 09:15
Piacere | Vero? | Grazie
|
27 comentários:
De Ca a 15 de Julho de 2006 às 03:29
Simplesmente arrepiante de tão intenso! Concordo. De facto, deslumbrar passa por se ser uma "caixinha de surpresas"... Gosto da ideia de ser dominada, dominando! Nada como se ser autêntico.
De Lobaaaaaaaaaaaaaaaaa a 18 de Maio de 2006 às 20:31
Não digo nada... até porque tu já sabes e não preciso de me 'publicitar'... ehehehe (Tu entendeste... e só a ti interessa entender). Beijos, quantos quiseres...
De Marisa a 19 de Maio de 2006 às 09:02
E tá tudo dito! Grata pelos beijos, quero-os todos... Muitos também para ti.
De igara a 18 de Maio de 2006 às 12:01
Marisa, tal como te prometi, cá estou eu a comentar o teu texto. Ora bem...confesso que tive que ler este teu texto muitas vezes, para conseguir separar fascinio de sedução...mas a verdade, é que não consegui, porque o fascinio como o descreves, se baseia na arte de sedução. Se eventualmente estiver errada, é porque não consegui entender na perfeição o que escreveste. O fascinio que se adensa na arte de suduzir, tem uma outra vertente, que se liga aos outros. Os outros, também conhecem os meios para atingir os fins que pretendem. Quando nos embrenhamos demais em seduções, sejam elas de que forma forem, pelas palavras, pelos gestos, pelos afectos, esquecemos-nos da arte de conquistar. As conquistas, aquelas que se edificam no coração, não devem ficar remetidas a lugar de menos previlégio. O que acontece muitas vezes, quando nos embrenhamos nos fascinios, é afastar de nós as possibilidades de conquista. E eu que acredito que as conqueistas podem ser eternas, invisto no processo ao invés de fascinar e perder-me em sentires que não são os meus.
No entanto, acho que te entendo, apesar disso, eporque foi sinceridade que me pediste, não podia deixar de te dizer isto, pela forma como gosto de ti... Um beijo mansinho e um abraço muito apertadinho :)
De Marisa a 18 de Maio de 2006 às 12:09
És uma romântica inveterada! E disso não resta a mais pequena dúvida, o fascínio não tem que ser mau sabes, eu pelo menos não o vejo como tal, a maldade somos nós que a colocamos nas coisas... A sedução é tão excitante e porque não seduzir de forma enigmática o homem da tua vida, assim será sempre surpreendido por ti! Obrigada querida, o teu beijo por direito...
De igara a 18 de Maio de 2006 às 14:35
Marisa, eu não disse em nenhum momento, que o fascinio era mau. Disse apenas, ou se não disse deveria ter dito...que não devemos descurar um em função do outro. A fascinação, está só naquilo que somos, desta forma, não teremos necessidade que nos re-inventar a todo o momento, estudando formas de sedução e formas de surpreender outros. A surpresa é conseguirmos ser sempre e só o que somos. Um beijo grande e mansinho :)
De Marisa a 18 de Maio de 2006 às 14:38
Se calhar, acho que sim, ser só eu e sê-lo bem... Obrigada querida, baci .
De Vasco__27 a 17 de Maio de 2006 às 16:14
Enigmatica, sem qq duvida
Fascinante, nem imaginas quanto
Misteriosa, por mais que uma razão
Controlável, impossível de o ser
Inebriante, és...

O que todas as mulheres ambicionam ser um dia, e que tu já és, e muito bem retratas neste post... Parabéns... Manténs-te linda a escrever... Nada de mudar, Marisa... Um beijo, Bella
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 16:26
Tanto mimo Vasco obrigada, quem me dera ser tudo isso, ou se calhar não ser nada só porque não precisava de o ser...
Fazes-me bem, baci.
De Cristal a 17 de Maio de 2006 às 15:50
Estive a pensar no que havia de comentar e cheguei simplesmente a uma conclusão
costuma-mos ouvir dizer que quanto mais dificeis
nós, as mulheres, somos mais curiosidade provoca-mos e isso está mais que comprovado.
Quanto ao ser imprevisivel, criar mistério......
ufa é mesmo bom.
Beijo e continua sempre tu mesma.
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 16:25
Obrigada querida em dias como o de hoje mimos desses são impagáveis para mim.
Baci per te.
De Zuco a 17 de Maio de 2006 às 12:15
É giro...

Esse jogo pode ser giro, mas sabes que se o levares ás ultimas consequencias quem perde és tu, não sabes?

É que uma coisa é ser um livro aberto, outra é ser um cofre forte temperamental. Se a primeira não dá pica, a segunda acaba por cansar.

Ainda ontem uma amiga minha contou-me que deu uma tampa aos amigos mais ou menos coloridos, depois de os provocar para não lhes dar a ideia de que era uma fácil (Ela tambem gosta de se armar em cabra..) Hoje escrevia-me que nenhum lhe respondia... Pois...

Equilibrio, Marisa, equilibrio.

Agora... Se eu me estivesse a armar em psicologo dizia-te que não é por teres uma armadura que ficas mais forte. A força parte de nós.
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 12:46
Frase chave, 'A força parte de nós', vero, eu disse-o no fim do texto.
Mas repara se vires um jogo do qual já sabes o resultado, ele continua a empolgar-te, saberes que não vai ser golo?
O equilibrio é fundamental, mas a tua vontade em tentar perceber quem está do outro lado, se aquela loucura será genuina, não torna tudo mais fascinante?
O ser enigmática não é uma armadura, não pra mim, é só uma forma de só nos revelarmos a quem realmente nos interessa... digo eu.
Nestlé com avelãs...
De ZUCO a 17 de Maio de 2006 às 15:42
Mas nunca se sabe o resultado, linda!

Eu ao fim de 10 anos NÂO sei o resultado! Houve golos, houve remates á baliza, houve más jogadas, mas sei lá como é que acaba... Mas o certo é que diáriamente, NÂO sei o resultado!

A loucura nunca é genuina. É uma fase transitória, uma alegria levatanda ao quadrado. E quando a loucura passa já alguma vez te aconteceu ficares a olhar para alguem em silêncio, a sorrir por estares com ele? O que é mais genuino? A loucura ou esse momento?

Mas tu és enigmatica? Nunca tinha notado... É a cada palavra que escreves menos enigmatica te tornas.

Sangria de Chamapanhe na Esplanada do S. Carlos.
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 16:23
Se calhar não sou muito enigmática, pensando bem, esta minha mania de dizer o que penso, ser sincera, deixa pouco em aberto, ás tantas nem tenho interesse nenhum, só gostava de ter...
Afinal sou só uma parva com a mania que é isto tudo não sendo nada, sei lá... ilusões...
Sangria, tá bem...
De Zuco a 17 de Maio de 2006 às 16:58
Èpá... Não entres por ai! Não tem nada a ver! :-D

Obviamente que és interessante, senão não vinha cá 52 vezes por dia ver o que tinhas respondido.

Obviamente que não és parva nenhuma, senão não escrevias como escreves.

E obviamente que essas manias de ser sincera te ficam muito bem e devem ser acarinhadas, porque são raras, por estes dias de fast-food sentimental e sexual.

Obviamente que já sabias isto tudo assim como que eu iria responder-te assim. É o que eu disse: Não és parva :-D

BEIJOS! ;-D
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 17:03
Obviamente que devias ter mais que fazer do que ligar ao que eu escrevo, mas és um querido...
52 vezes???? Obrigadão, estou esmagada, tanto mimo.
Não sabia que ias responder-me assim, aliás, não imaginei que fosses responder-me, agradeço-to, tá bem não sou parva... mas às vezes tou lá quase!
Beijokas.
De Zuco a 17 de Maio de 2006 às 19:45
Tchin, Tchin!

(53!)
De Marisa a 18 de Maio de 2006 às 09:03
Ahahahahaahahahahahahaha!
Primeira!
De MSDOS a 17 de Maio de 2006 às 11:52
Percebi perfeitamente! Um bom texto!
MSDOS
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 11:57
Percebeste?
Tá bem, obrigada!
Baci.
De maresia a 17 de Maio de 2006 às 10:38
ola , vim agradecer tua visita ao meu Blog e...ver o teu. Gosto da forma co o escreves...esse erotismo de palavras é delirante...O conceito da liberdade.... sem duvida.....bjx
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 10:51
Faço-o porque aprecio imenso as tuas fotos e vejo que tambem te agrada a minha forma de escrever... óptimo!
Baci per te...
De homem de negro a 17 de Maio de 2006 às 10:06
Olha, a marisa a levantar um pouco o véu sobre as formas que utiliza na sua arte de provocação/sedução. Mas já agora, a talhe de foice, lembro-te que esta técnica dá sempre para os dois lados, pode acontecer-te, e espero que gostes, exactamente o mesmo a ti...
Quanto aos outros textos, frontal, directa, sensual, provocadora, devassa, numa palavra... fêmea.
Gosto muito de ti, cachopa, por não teres medo em demonstrar as coisas que te passam na mente e como elas são, bem como a demonstração que estás sempre a arder...
Um beijo, a gente vê-se por aí...
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 10:30
Sim pode acontecer-me e eu aguardo-o com espectativa, esse fascinio como o dizia em cima encanta-me.
Obrigada pelos elogios, não serei tanto assim, é a tua alma...
Grazie, um beijo grande, que mereces...
De Rui Dantas a 17 de Maio de 2006 às 12:07
Sem conhecer quem escreve estas linhas, isto de "não mostrar tudo para manter fascínio"... no fundo, no fundo, parece-me desculpa de quem não gosta de se abrir tanto como diz...
Ah, e parabéns pelo blog.
De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 12:40
De facto não gosto, costumo dizer que os meus maiores segredos morrerão comigo, mas isso nada tem a ver com os enigmas que aqui deixo, falo do fascinio pelo desconhecido.
Detesto ser previsível...
Obrigada pela visita, baci.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas