Segunda-feira, 8 de Maio de 2006

Eterna beleza efemera

Deixem que diga que não concordo nada com a ideia de que a beleza interior é que interessa, o exterior é irrelevante e o que conta é a personalidade… só…

Hoje em dia há, eu diria, dois movimentos, por um lado, a beleza dita exterior, faz-se tudo o que for preciso pra se ficar esteticamente perfeito… ou não, incluindo silicone, botox e operações mais ou menos duvidosas, não importa, desde que fiquemos parecidas com a barbie .

Em paralelo há os que defendem que a beleza interior é que importa que pudemos pesar 300 quilos, mesmo assim a nossa beleza está e revela-se de dentro para fora…

Já eu, única e simplesmente não consigo desassociar uma beleza de outra, se é que são desassociáveis, quanto a mim é claro, estão intimamente interligadas, ou seja é óbvio que o nosso interior (e não falo das vísceras), é importante, realmente importante, mas o nosso exterior não será um pouco do reflexo interior?

O meu conceito de beleza é ligeiramente controverso, ou não tenha sido eu, o ‘patinho feio’ durante uns bons anos, mas adiante.

Por outras palavras que isto de interiores soa-me decoração, o nosso físico não estará relacionando com a mente, a alma?

Não há uma beleza imensa em mãos cheias de vida e com vida para contar, beleza em pele marcada pelo tempo, beleza em cabelos brancos contemplados pela chuva e sol, beleza na calma das gentes que a adquiriram com a experiência e maturidade?

Confesso que tenho uma inveja brutal das mulheres de 'entas ’, como lhe chamo e que exibem orgulhosamente as suas rugas, lindas, vivas, carregadas de experiência de vida e sabedoria sendo gordas, magras, altas ou baixas e espero que com péssimo feitio, que é o que se diz de quem tem personalidade vincada!

As pessoas gordas são inevitavelmente feias ou más pessoas, ou menos capazes, ou diferentes?

Suspeito sempre um bocadinho das grandes simpatias e de pessoas cheias de boa vontade, principalmente de quem passa a vida a dizer que o físico não interessa nada o que conta é o psicológico, tretas!

Essas são as frustradas que querem a todo custo fazer crer que apesar de se estar uma lástima por fora, há-de haver algo de bom lá dentro, duvido!

Eu sou ‘um amor ’ de pessoa mas se me pisarem os calos, bem podem esperar pelo meu bom feitio e há em mim sentimentos que considero bons, justos, verdadeiros, genuínos, o que não significa que me deixe levar só porque não sou a Angelina Jolie !

                                

E há ainda a questão do ser-se linda ou não, acho que isso é daquelas coisas que ou nascem com a pessoa ou não, pronto nasceu-se perfeitinho, a mão natureza foi amiga, até porque a beleza não é universal, o que é esplendoroso para alguns não o será necessariamente para outros… felizmente…

Agora feio só é quem quer, hoje em dia há uma vasta escolha de opções que nos permitem minorar as nossas supostas imperfeições.

Mais o ser-se belo, parte da nossa atitude, auto-estima, confiança, escolha, vaidade.

Portanto que me perdoem os mais restritos nisto, mas a beleza exterior ou a verdadeira beleza se quiserem a mim interessa-me e muito, porque indiscutivelmente também se relaciona com a maneira de ser da pessoa, se a pessoa está bem por fora, vive bem por dentro, está de bem com ele e com os outros.

É óbvio que todos somos boas pessoas e temos sentimentos mais ou menos nobres, mas pra quem nos merece, uma pessoa antipática provavelmente é uma querida para os filhos e uma pessoa sendo uma brasa escultural pode ainda assim ser muito inteligente e nobre de sentimentos, assim como uma gorda e feia pode ser amarga devido às suas limitações.

Deixem-me ser feliz com as minhas estrias e o mau feitio!

Neste contexto parece-me que se vivermos bem com o que somos, seja física, seja psicologicamente, se trabalharmos na nossa auto-estima, se formos honestos principalmente connosco, a nossa beleza poderá ser eterna e mesmo a física não tem de ser efémera, porque se pode ser belo em todos a idades o espírito é sempre o fio condutor...

 

 

Escrito por Marisa às 09:49
Piacere | Vero? | Grazie
|
28 comentários:
De Safira a 17 de Maio de 2006 às 02:07
Beauty it's a concept, geralmente carregado de futilidade!
But who doesn't like de ouvir dizer és mui guapa?!
Pero, la beleza interior és muy importante también!

Je te adore Marrrrrrisa!

De Marisa a 17 de Maio de 2006 às 09:24
Eina eina, mas que internacional!!!
Grazie, e vero...
Baci tanti.
De Ca a 11 de Maio de 2006 às 00:22
A pessoa é o conjunto, ou seja, o interior (o intelecto) mais o exterior (o aspecto). Portanto, na minha opinião, são coisas indissociáveis, por natureza. Eu confesso que sou da opinião que o exterior não interessa, passo a explicar o porquê: a primeira impressão que temos de alguém é o exterior! Portanto, este componente do outro está ultrapassado, digamos assim, o que nos pode definir a relação que temos com alguém é o interior dessa mesma pessoa. Ou seja, dependendo do seu interior posso dispensar a relação c essa pessoa, ou optar por uma relação superficial, ou por uma amizade de circunstância, ou por uma amizade forte ou por "casamento de coração", entre outras opções inconscientes, mas que, na minha opinião deriram do interior da pessoa (personalidade, forma de encarar o mundo, etc). A beleza é um conceito relativo, o que para mim é o "Homem mais podre de bom" para outra mulher pode ser horrivel. Somos como somos fisicamente, é genético, mas temos uma vasta variedade de opções para nos tornarmos mais bonitos para nós mesmos (por exemplo, um cabelo bonito e arranjado, ou as unhas.. um penteado que traduza a nossa personalidade.. a mesma coisa para o estilo de roupa que vestimos). Ou seja, existe uma série de coisas que podemos escolher que nos permite sentir bem com o nosso exterior, e essas mesmas coisas podem revelar algo sobre o nosso interior. Aqueles que gostam, gostam os que não gostam, paciência. Evidentemente que o exterior conta, por diversos motivos: é a primeira impressão para os outros, é recebido de forma diferente por todos (lá tá: "os gostos não se discutem") e mostra muito do nosso interior!
De Marisa a 11 de Maio de 2006 às 09:18
pois este é um daqueles temas sempre controversos e que me agrada por isso.
É sempre discutível a beleza, tu por exemplo és linda e nem quero saber do teu interior, tens um sorriso que me mata...
De Ca a 13 de Maio de 2006 às 15:07
Muito obrigada! E tu, um carisma que me fascina! O olhar... uhm... poderoso! Fico por aqui!! Sim, tenho mais que fazer, do que escrever a imensa lista das tuas qualidades! Nós sabemos, só isso me importa! Sinto-me previligiada por beber um pouco da tua sabedoria! Um bolito de coco p'ra mim e uma fatiazona de tarde de maça p'ra ti!


Ainda bem que tudo é relativo, que tudo tem vários pontos de vista, assim temos tema de conversa! Não existe uma e só uma verdade absulota, existem várias verdades que surgem de vários pontos de vista. Por analogia, um prisma, do ponto de vista inferior é um quadrado, do ponto de vista lateral pode ser um triângulo! EXistem várias verdades, que são diferentes, dependendo do ponto de vista! Por isso, é tão bom partilhar! Ainda bem que somos diferentes, a vida tem muito mais cor e piada!
De Marisa a 14 de Maio de 2006 às 01:38
Tarde de maçã? Ia mesmo a calhar...
Ainda agora saí de perto de ti e já tenho saudades, a beleza tambem é isto, a nossa partilha de pontos de vista de opiniões, as nossas divergencias são sempre atenuadas por um sorriso delicioso que fazemos em unissono.
O meu carisma e o meu olhar, são só o reflexo do que sou.
Baci per te principesa.
De h_sexy a 9 de Maio de 2006 às 10:32
Eu apenas tenho um comentario a fazer... lol ...
Quem gosta de beleza interior são os decoradores..
A beleza interior nas pessoas não existe, é apenas um conceito criado por alguns para justificarem o quão feios eram ....lol. E como não tenho vocação para decorador de interiores, prefiro a que se vê.
Mas esta é apenas a minha opinião, e não é vinculativa....
Jinhos
De Marisa a 9 de Maio de 2006 às 10:36
Pois as opiniões são como o sexo... cada qual com o seu!!!!
Grata pela visita, eu diria nem tanto ao mar, nem tanto à terra, o que aprecio é a frontalidade e tu demonstraste-a toda, parabens.
Baci.
De manel a 8 de Maio de 2006 às 23:43
Perdoar-me-ás a ousadia mas ao ler o teu post achei que há aí uma subtil confusão. Na verdade, afigura-se-me estar cometido, nas tuas palavras, o pecado ( pouco original, por acaso ) de confundir beleza e atracção.
Beleza - a tal que todos vamos perdendo com o tempo, e que no feminino se traduz na flacidez do peito, no engrossar das anquinhas e da cintura e, nalguns casos, num pouco estético ganho de bigode.
Atracção - aquele ‘ efeito ‘ que ali defines por ‘ beleza interior ‘ que sendo, como é, uma ‘ coisa ‘ física, também o é, muito mais ainda, psicológica, emocional e por vezes até físico-química. Ou seja, existem determinados elementos químicos, como o odor e as hormonas, produzidas pela mulher e pelo homem, que têm um claro efeito no que sentimos numa primeira impressão quando vemos alguém ainda sem haver qualquer espécie de relação. ( Digamos que esta sim, é uma das mais primárias informações que captamos de alguém )
Assim, se a aparência ( a beleza ) transmite apenas aquilo que somos por fora, o hardware, o conteúdo, ( prefiro chamar-lhe carisma ) ou seja, o nosso verdadeiro “ eu “, o software, está na forma como o comunicamos, na atracção que transmitimos. É, afinal, aquilo que explica a existência de pessoas com enorme poder de atracção, sendo, simultaneamente, pouco bonitas.
Mas, seja lá como for, e ainda que a borbulha que temos no queixo nos possa prejudicar um bocadito a pose e a majestade, no fundo tudo se joga e depende da nossa auto-estima e se fomos ou somos bem ou mal amados. Isso sim desloca os pesos da balança-pesa-belezas entre o eterno e o efémero...
E pronto, espero que me perdoes este excesso e que continues bela e atraente .
De Marisa a 9 de Maio de 2006 às 09:29
Olá manel, acha confuso?
Lamento, mas continuo a defender a minha dama, porque raio uma mulher só porque tem o peito flácido perdeu a beleza, continua um peito!
Terá então de colocar silicone para continuar viva?
A beleza mesmo a fisica não será mais do que um peito flácido ou uma anquinhas mais grossas?
As minhas são roliças e eu não vou nada mal, porque esqueço isso e ligo aos meus lábios que são carnudos ou aos olhos expressivos, e alio-os a um sorriso aberto e franco.
E depois o carisma de que fala e que concordo em absoluto não supera tudo isso?
Não preferirá o amigo Manel saír com uma mulher com 'esses defeitos' e uma grande personalidade ao invés de uma bela mulher mas insegura ou futil? A beleza fisica parte de nós, temos sempre algo de belo seja qual for a nossa idade. Perdoe-me se não me fiz entender. Um beijo grande.
De Out of Time a 8 de Maio de 2006 às 22:09
A beleza interior a beleza exterior...parece que se discute um automóvel ou uma loja. As pessoas são muito mais complexas, o que é belo hoje pode não ser amanhã. O próprio conceito de beleza é um conceito dinâmico que vive de condições culturais e históricas. A mulher ou homem belos de hoje deviam ser horríveis no tempo dos nossos avós, basta ver o ditado "gordura é formosura". O que nos atrai é um conjunto complexo de mente, corpo e cultura. O poder também é afrodisiaco, o dinheiro o status quo podem também revelar "beleza" para uns onde outros não vêm. O importante é ter a "beleza" certa do nosso lado, seja ela magra, gorda, baixa ou alta, estupida ou inteligente.
De Marisa a 9 de Maio de 2006 às 09:21
Ahahahahahaahahahah out of time, grata pela sua opinião. Mas se me permite, porque é que a expressão 'gordura é formusa' está fora de moda? Quem é gordo não pode ser belo?
Na realidade não discutimos um carro, mas discutimos pessoas que na realidade já ligam muito mais a um carro do que a si próprios, ao que pensam e sentem...
A beleza é intemporal.
Baci
De Zuco a 8 de Maio de 2006 às 16:22
Bombocas...
Bombocas de grata memória...
De Marisa a 8 de Maio de 2006 às 16:34
Lambuzar-me no recheio...
De Zuco a 8 de Maio de 2006 às 12:53
Eu não gosto nada de desculpas e essa historia de "beleza interior" soa-me tanto a desculpa para o desleixo... É uma boa forma de justificar o que está mal na aparência e no interior supostamente belo, já que é o monge que escolhe o seu hábito.

Ser belo, ou ser atraente, é mais uma atitude que um conjunto de medidas e proporções.

Já conheci meninas lindas, mas sonsinhas, que podiam ser modelos, mas que eram só bonitinhas... Mais nada...

Frequentemente são as mulheres que a natureza não favoreceu tanto que são mais as interessantes, o que se compreeende: Tiveram de fazer por isso. tiveram de ser capazes de atarir e manter a atenção, de bater a concorrencia das "modelos" e isso, essa força interior é o que as torna belas.

Tambem acho que a idade dá charme, quando se sabe envelhecer bem, quando se aceita a idade que se tem, com tranquildade de um passado reconciliado. E então quando essa maturidade se alia a um aspecto ainda jovem...Tira-me do sério!

(Não percebi aquela da da maldade... Foi por causa da Vingança? )

Regina! (Popular, mas não populista...)
De Marisa a 8 de Maio de 2006 às 14:44
Então parece-me que estamos em pleno acordo, que bom!
A mim parece-me que há uma sensualidade inigualável na maturidade, no charme...
Maldade? Vingança?
Se é pra voltar à infancia... bombocas...
De Eterno Efémero a 8 de Maio de 2006 às 12:37
Li...
Um comentário, me suscitou, breve note-se.

Marisa esta predisposição para gostarmos de gente bonita, dá-nos a perfeita dimensão da efemeridade da beleza exterior.

As tais rugas que me custaram a ganhar, permitem-me, hoje, saber que prefiro caminhar de mão dada, pela rua fora, com alguém que me reclame, verdadeiramente, num chamamento que venha lá bem de dentro, e esse chamamento só se consumará, por via da beleza interior.

Já me fartam as barbies de beira de balcão.

Passo distraído pelas prateleiras da livraria da esquina e entre as fotos de passerelle que de um lado nos mostram o glamour de passadeira, e aquele artigo que mostrava uma mulher de "beleza duvidosa", mas que se tinha desprovido de uma vida confortável , para ir para áfrica tratar dos outros, optei, sem ser necessário racionalizar o que quer que fosse, pela segunda revista.

Se sou um gajo "giro", "feio como as portas" ou "assim, assim" eu lá saberei como sou, tenho uma boa noção de mim. Mas nem creio que seja isso a comentar.

Por tudo... resta dizer que as pessoas desde que sejam como são, sem que tenham que dar retoques "no feitio", "na consciência" e "nos principios", para cumprirem o suposto desafio de agradar aos outros, por mim...eis-me!

Um abraço.....
De Marisa a 8 de Maio de 2006 às 12:49
Ai que a felicidade não me cabe dentro do peito!!!!
Igual a si próprio... sempre, ei-lo dono de si, dono das suas convicções, dos seus feitios, da sua personalidade.
Pois eu sou bem capaz de me apaixonar por uma belas rugas que ficam lingas na testa ou as rugas que um sorriso provoca...
Grazie, baci... tanti.
De Igara a 8 de Maio de 2006 às 11:04
Marisa, ora bem...comentar este post, logo eu que não sou feia nem bonita antes pelo contrário....hahahahahahhahahaha. Acho que a beleza exterior e interior caminham de mãos dadas. Ambas refletem a personalidade que se tem. É mais fácil sentirmo-nos atraidos, pela beleza exterior, aquela que salta aos olhos, aquela que nos cativa num primeiro contacto. Quem gosta deste tipo de atracção, bastar-lhe-á este contacto que os sentidos abarca. Eu, pessoalmente, gosto de me ligar aos sentires, e á forma como consigo pintar as pessoas na minha tela, atribuindo a cada pessoa tonalidades que se medem pelos meus sentires.
Mas tens razão Marisa, há tantas opiniões sobre este assunto, que é quase como discutir o sexo dos anjos, se é que eles têm sexo...hahahhahahahahaha. Beijo grande e xi coração apertadinho :)
De Marisa a 8 de Maio de 2006 às 12:45
Igara muito obrigada pela simpatia, a tua beleza note-se ultrapassa tudo o que de fisico existe.
Acho-te linda e nem te conheço...
Baci.
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 8 de Maio de 2006 às 10:45
Ora viva Cara Marisa...

Bom, primeiro que tudo, isto não é a minha alma, nem sequer um mero comentário, somente um bitaite.

Aqui está uma introspecção que nunca fiz, nem este assunto me deu sequer que pensar pois não tenho preocupações destas.

Não vejo quaisquer vantagens em se ser feio ou bonito, por fora ou por dentro, mas creio que o mais importante é parecermos o que não somos.
Para tal, não temos que fingir, basta disfarçar um pouco.

Porém, eu nunca tive problemas destes, e mesmo não sendo bonito de qualquer dos lados, os outros não me consideram feio.

Puro engano, sou mesmo feio e sem ponta por onde se pegar, no entanto, eu disfarço é muito bem.
Cá está, e só mesmo um sacana como eu, consegue ludribiar os paramêtros da beleza, sejam elas quais forem.

Além disso, e por mais que eu tenha preferências quanto aos padrões de beleza, ando sempre em contradição com os meus gostos.

Prefiro mulheres altas mas escolho sempre as baixas, prefiro mulheres feias mas opto sempre pelas bonitas, prefiro mulheres mais velhas mas dou-me com fêmeas de todas as idades...

Tudo isto, porque talvez prefira estar sempre satisfeito com o que escolho em vez de sujeito ao que deveria ter escolhido.

Cara Marisa, não gosto de moderação nos comentários, pelo que irei tentar ser censurado numa próxima oportunidade.

Um abraço...
SHAKERMAKER





De Marisa a 8 de Maio de 2006 às 10:52
Começando pelo fim, lamento essa sua aversão a regras impostas eu própria reclamo do mesmo...
Quanto á sua visão de beleza, fico contente por tê-lo despertado para este conceito que segundo disse nunca o tinha atormentado... feliz de si.
Sabe que concordo consigo, invariavelmente sigo sempre pelo lado opsto, continuo a encantar-me pelo pior... ou será o melhor?
Baci, espero-o por cá...

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas