Quarta-feira, 9 de Maio de 2007

Momentos

Entrei no quarto e a iluminação estava perfeita, aquele lusco-fusco lá de fora que entra por entre os estores e nos permite vislumbrar, não com perfeita nitidez, mas daquela forma em que tudo fica perfeito e lá estava ele, vencido pelo cansaço, deitado em cima da cama, não numa daquelas poses lindíssimas, simplesmente deitado, num sono profundo e merecido.

Apeteceu aninhar-me junto dele, talvez beijá-lo, despi-lo e por aí fora… mas não, saí sorrateiramente, antes que o desejo se tornasse incontrolável, encostei a porta e fui preparar qualquer coisa para jantarmos.

Saber que tenho alguém que me faz tão bem, a descansar na minha cama é se calhar das melhores sensações que se podem ter, saber que a minha cama é porto de abrigo para mais alguém, que dentro do meu quarto que é o meu tesouro está alguém tão especial para mim… esbocei um sorriso, sei que aquele foi um momento muito feliz…

Bem no meu ouvido, sentindo a respiração na nuca, ouvi:

-Já chegaste à muito tempo?

Sem me voltar e controlando ao máximo o arrepio e ao mesmo tempo tesão que aquela surpresa repleta de sensualidade, me provocou disse:

-Algum, vi que estavas a dormir, deixei-te estar.

-Podias ter-me acordado.

-Podia, mas achei que não devia, precisas descansar…

-E preciso de ti…

-Tens-me agora.

-Já?

-Ahahah, estava a pensar em algo mais elaborado…

-Hummm… devo ficar com medo?

            

-Ahahahah, sempre! Quero que te masturbes, quero ver, sentir, quero perceber que sensação é essa que vos faz rebentar em pouco tempo, o teu tempo, o que realmente te dá prazer, como se despisses essa faceta, quero que olhes para mim quando estiveres lá…

-Tens cada ideia!?

-Então, vamos ao toillete?

-E depois ficamos por lá?

-Claro! Só vais atiçar-me o fogo, depois tens que o apagar!

-Ahahahah…

Devo dizer que foi das imagens que mais me excitaram, primeiro pela intimidade que é ter alguém a expor-se daquela forma na nossa frente, um prazer tão secreto, tão pessoal, tão nosso e a coragem de mostrá-lo, deixou-me muito lisonjeada, depois pelas expressões de puro prazer, que a mim me estavam a excitar por completo… e depois o clímax, quase tinha um orgasmo ao mesmo tempo… delicioso demais…

Beijou-me ainda com a respiração ofegante, sorri-lhe e liguei a torneira da banheira…

 

 

Escrito por Marisa às 17:52
Piacere | Vero? | Grazie
|
8 comentários:
De Ca a 4 de Junho de 2007 às 11:14
O mais valioso é o que não se pode comprar e nos mantém felizes ao relembrarmos...

Eu sou como tu linda, dou imenso valor, aos pormenores que apenas existem quando existe amor, no verdadeiro significado da palavra...

Que bom que sentes assim e que bom que tens quem te proporcione «momentos» como este encatadoramente partilhado...

Adoro-te amiga.

Beijocas
De Marisa a 4 de Junho de 2007 às 15:23
Os pormenores, esses pequenos momentos maravilhosos, com a capacidade de mudar tudo...
Beijão!

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas