Segunda-feira, 19 de Março de 2007

Chorar...

Gosto imenso de chorar…

Acho que sempre gostei, obviamente nem sempre gosto das razões que me fazem chorar, nem sempre se chora de felicidade, mas refiro-me ao acto em si, à humildade, à nobreza de quem chora e se admite assim.

Já quando era pequena, dizem, quando chorava por birra, ou sono, ou porque de facto estava aborrecida, passado algum tempo iam encontrar-me em frente ao espelho do quarto a olhar pra mim… a chorar…

E hoje em dia, continua a ser algo que me dá uma enorme paz de espírito, um conforto, uma paz, serenidade, à talvez dos actos mais íntimos que existem, é talvez uma das nossas maiores verdades, porque dificilmente se controla a vontade de chorar e é também muito saudável esta capacidade de, em lágrimas expor sentimentos…

Se calhar por gostar tanto de rir e rir tanto é que aprecio, esta minha forma mais verdadeira de sentir.

Às vezes nem há assim uma grande razão para tal acto, o mundo não me desabou na cabeça e nem tive uma alegria daquelas que são infindáveis, mas aperto-me contra mim e assim que sinto as lágrimas a caírem, sinto-me mais eu.

Como se de repente do meu mundo só fizesse parte aquele momento, não havendo uma especial razão, há talvez uma necessidade, porque a sensação de leveza com que se fica, a alma lavada, é uma óptima sensação.

         

 

Não gosto de chorar perto de ninguém, não choro sinceramente, verdadeiramente, não porque sinta vergonha, ou porque me sinta humilhada, ou menos forte, mas é dos momentos mais íntimos que tenho, porque isso sim é sentir-me nua, a minha alma ali exposta, para quem muitas vezes nem percebe o seu significado, aquela necessidade, aquele momento mágico.

Sempre foram as imagens mais belas que vi, as de lágrimas, pessoas que choram enquanto riem de felicidade ou por uma dor tão fina que quase corta, a sinceridade que está em cada momento desses, é talvez inexcedível, um sorriso todos nós fazemos, uns mais verdadeiros que outros… mas chorar, demonstrar que nos afecta, que nos tocou, que somos vulneráveis…

Às vezes secretamente brota-nos uma lágrima e ainda que aos olhos do mundo seja imperceptível, para nós representa um momento, que não conseguimos deixar passar, esses sim, são os nossos momentos mais verdadeiros e fiéis a nós próprios...

Chorar não é uma vergonha, ou fraqueza, mas um acto nobre de quem sente verdadeiramente e se assume como tal…

 

Este texto não tem como propósito a tristeza, ou um momento menos feliz da minha vida, é só o assumir de um acto que me agrada muito...

Escrito por Marisa às 10:00
Piacere | Vero? | Grazie
|
18 comentários:
De Ca a 30 de Março de 2007 às 16:53
Lindo, lindo, lindo...

Concordo plenamente... Não mudo nem uma virgula...

Belo tema!

:))
De Marisa a 30 de Março de 2007 às 17:08
Obrigada...
De INPulso a 24 de Março de 2007 às 00:54
Continuo, mesmo neste silêncio a lê-la... E dizer-lhe que os homens também choram....e eu choro!!!!!!
De Marisa a 26 de Março de 2007 às 09:34
O silêncio é por vezes a mais bela melodia, sabê-lo aí a ler-me é um privilégio.
Chore sempre que a alma lho peça...
Um beijo.
De Morgaine a 23 de Março de 2007 às 23:19
Olá, descobri-te através do blog do shakermaker; é agradável este blog, gosto dos temas e do modo como os abordas.Aliás é surprendente esta nossa blogosfera.
Chorar faz sempre bem, e eu própria gostaria de chorar e não consigo. Chorar por chorar.No entanto todos os dias choro... de riso,pelo menos nas últimas semanas já tenho provado o sal dos olhos com as gargalhadas. Enfim..
Beijos.
De Marisa a 26 de Março de 2007 às 09:32
Olá!
Obrigada pela visita e já agora volta sempre que o desejares...
Baci.
De Martini Man a 20 de Março de 2007 às 22:19
Não me fica bem dizer isto, mas há pouco tempo chorei por uma mulher... Não é coisa que custume fazer, uma vez que como Martini Man estou sempre cool e em controle das minhas emoções e das delas.

Mas naquele dia, cedi...

Baci
De Marisa a 21 de Março de 2007 às 09:33
Não te fica bem?
Porquê?
Achas-te menos homem, menos capaz, menos macho man?
O Martini man, assume-se como é, sabe o que vale e tem total controle das situações, chorar não mancha em nada esse protótipo, quanto muito fá-lo perceber o que o magoa, o que quer para ele e o que o faz sentir bem.
Chorar por uma mulher é dos momentos mais nobres de um verdadeiro homem...

Cede sempre que a alma to peça... adorei.

Beijinho.
De Maeve a 20 de Março de 2007 às 15:04
Eu gosto de chorar...Lava a alma.
E faço-o muitas vezes quando estou sozinha.
Mesmo achando que estou a ficar maluca.

Gostei muito, como sempre!!

Beijoca


De Marisa a 21 de Março de 2007 às 09:29
Maeve...
Exactamente, lava a alma, tambem gosto de chorar sozinha e ás vezes nem tenho uma razão para tal, Só sei que depois vou ficar melhor...

Obrigada, um beijinho.
De apenasMadalena a 20 de Março de 2007 às 11:53
Perfeitamente de acordo ctg. Chorar demonstra a grandeza interior de uma pessoa, ñ kerendo com isso dizer que akeles que não o conseguem fazer sejam menores, obviamente.
Eu qd era mais nova raramente chorava, engolia tudo para mim, ñ queria que pensassem que era uma fraca. Depois dos quarenta, mudei a minha postura e agora choro sempre que me apeteçe, seja lá qual for o motivo. Sinto que fico mais leve, de alma lavada.E o que os outros pensam...tou-me pouco lixando...
Bjokas
Madalena
De Marisa a 21 de Março de 2007 às 09:28
Pois o acto de chorar, não é em nada um acto menor, antes pelo contrário, é uma libertação.
Chora sempre que a alma to pede, não há melhor maneira de aliviar a alma...

Beijinhos...
De Kitty a 19 de Março de 2007 às 16:49
Não é fácil para mim chorar, acho que só choro no limite, de tanto controlar essa emoção que, realmente, nos lava a alma e nos deixa bem melhor connosco mesmos. Houve aí um dia, há meses atrás, que me descontrolei de tal forma , que chorei...como uma criança, no meio da rua e chorei convulsivamente, sem conseguir parar... não me importo de o admitir, surpreendeu-me tal fragilidade, em mim, mas compreendi, depois, o que tinha acontecido e o porquê de tal sentir...

E sim, por vezes, os olhos ficam rasos de água, ninguém nota (felizmente!) e em nós dá-se um momento de tal intensidade que só dessa forma o conseguimos soltar... complexidades emocionais.

Rir (disfarçando, placidamente o assunto...) gosto muito de rir, de rir por tudo e por nada, de fazer rir...

Um beijo e um sorriso Marisa
De Marisa a 19 de Março de 2007 às 17:10
Kitty...
Julgo que não é fácil, para ninguem, o acto de chorar, é muito sentimento, é demasiado intenso, é muita exposição. Mas depois de ultrapassada essa barreira, é tão bom, faz-nos realmente bem...
Chorar não tem que tersempre uma razão, só uma vontade...

Obrigada pelo testemunho, pela honestidade, muitos sorrisos para ti!
De Dolce-Fare-Niente a 19 de Março de 2007 às 12:20
....vadiar até aqui é um vero piacere que o tempo não vence.
o som de Cosi Fan Tutte levou-me a belezas antigas por visitar....a te Marisa.
Concordo Marisa....chorar é um dom daqueles que assumem plenamente a sua natureza. Uma lágrima é o sussurar da alma no encontro almejado connosco mesmos. E é desses maravilhoso encontros que se tecem sorrisos mais tarde. "Com licença, com licença, tenho pressa, quero ir para casa chorar, tenho a alma por limpar, o sossego por (re)fazer... "
Mas ele há tanto choro sem lágrimas....sem destino, tanto coração voltado para dentro....!
Vivam a lágrima terapêutica, os corações abertos e os encontros a sós....que é disto que acontece a vida.
Marisa, sempre, um vero e belíssimo piacere...

Dolce-Fare-Niente
De Marisa a 19 de Março de 2007 às 17:07
Dolce-Fare-Niente, bella come stai ?

Por mais que quisesse, por muito que o deseje, não vou acrescentar uma vírgula, só contemplar estas palavras... grazie.
Um prazer imenso poder lê-la, um privilégio a sua visita...
De cheiodetesao a 19 de Março de 2007 às 11:37
Sim, portanto a professora batia-nos, mas era 5 estrelas.

E eu nao sou sado_coiso, atençao...

Também choro, com alguma frequencia, quase sempre por ver coisas de que nao gosto.
Um beijinho, Marisa.
De Marisa a 19 de Março de 2007 às 17:02
Para o caso pouco importa que coisa és... ahahahahaha, apreciei muito foi a sinceridade com que escreveste 'batia-me, mas eu gostava dela', lindo...
Invariavelmente choramos por factos que não nos agradam, mas chorar só para reconfortar, para tirar um peso por vezes excessivo dos ombros, porque nos apetece, porque é verdadeiro, é tambem muito libertador...
Mil beijos, obrigada.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas