Segunda-feira, 13 de Novembro de 2006

Nesta noite de chuva

A pele arde!

A carne queima…

O desejo consome-me, sinto chamas dentro de mim, este calor que me deixa inquieta, um tesão que me endoidece.

Vem!

Não tenhas medo, não tenhas reservas, não tenhas pudor…

Anda possuir-me… não quero que me chames de meu amor, não quero beijos, não quero carinhos…

Quero-te por inteiro, quero sentir-te, quero a tua virilidade, o teu desejo, a tua masculinidade, a tua força, quero-te!

Numa noite de chuva, como a de hoje, quero que me molhes com o teu orgasmo, quero que esgotes a minha seiva do prazer, quero arranhar-te as costas enquanto me venho, quero morder-te o lóbulo enquanto me masturbas, quero que me apertes os seios para eu gemer para ti, quero tudo…

            

         

Quero engolir o teu tesão e quero que gostes, me puxes os cabelos e me chames de cabra, não vou deixar-te nada, quero tudo pra mim.

Não ouses, querer mais de mim do que todo o meu desejo, é só o que tenho para ti!

Tudo o que tenho vou dar-to nesta noite de chuva, tudo o que queres de mim, vais tê-lo hoje, não te venças pelo cansaço a noite será curta para tudo o que te quero dar, mas depois não ouses voltar a querê-lo, a querer-me... assim.

O facto de nos amarmos, não altera em nada este sentimento leviano que tenho, o facto de te querer bem, não significa nunca que não te queira assim, como presa de um predador faminto.

Esquece que me conheces e abusa de mim, consome-me egoisticamente, trata-me como se nunca me voltasses a ver, porque raramente me voltarás a ver assim… possuída.

Só te vou deixar descansar, que eu estiver esgotada, quando todos os líquidos que tenho dentro de mim se esvaírem para ti, quando não me conseguir lembrar de quem sou…

Mas entretanto fode-me e faz o melhor que conseguires, porque nesta noite de chuva, vais conhecer-me da maneira mais louca…

estou à tua espera… beijinhos… ahahahahahahaha.

 

Escrito por Marisa às 09:10
Piacere | Vero? | Grazie
|
33 comentários:
De Ca a 17 de Novembro de 2006 às 00:17
Confesso que não estava à espera...

E daí...

Foi liiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiindo!

:)))
De Marisa a 17 de Novembro de 2006 às 09:59
Nem eu, mas é quando sabe melhor!
Estava possessa, tu sabes...

Beijão.
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 16 de Novembro de 2006 às 13:27
Ora viva Cara Marisa...

Que diabo, tudo isto só porque está a chover? Não me vai dizer que no Verão não há nada para ninguém, pois não... Ah bom, melhor assim.

É pena ser um estado de pouca dura pois teria melhores proveitos se prolongasse essa... Como é que eu digo isto... Esse, enfim... Mas pronto, mais vale numa noite de chuva do que numa noite de nevão. Até porque, por estes lados não os temos.

Outra coisa...
Agradeço que altere o meu link para BLOGJOB ou simplesmente shakermaker, obrigado.
O Honky Tonk Women agora está arquivado neste endereço: http://honkytonkwomen.blogs.sapo.pt

Um abraço...
shakermaker
De Marisa a 16 de Novembro de 2006 às 13:45
Shakermaker!
Como está o caro?
Bom começo já por informar, apenas para tranquilizá-lo, que já actualizei o seu link, apresento-lhe desde já as mais sinceras desculpas por tal lapso, de facto o Honky Tonk Women, é imortal, mas está neste momento suspenso e portanto o que se apresenta é BLOGJOB, que já linquei, como terá opotunidade de verificar.
E agora em relação ao texto propriamente dito, com chuva incluída!
Meu caro, felizmente para quem gosta de vero piacere e tudo o que a isso está inerente, estas situções de completo desejo e loucura e leviandade não se verificam apenas em noites chuvosas ou estreladas, verificam-se quando algo se apodera de nós e nos permite dizer e fazer todas estas delicias que não sendo únicas, são sentidas como tal, tal a intensidade.
Assim, no caso foi de facto uma noite de chuva, mas posso desde já comprometer-me de que quando acontecer num dia soalheiro, o caro comentador terá o privilégio de o saber...

Grata pela sua visita, sempre inconfundivel e com uma elegancia inigualável, o seu abraço e o respectivo...
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 16 de Novembro de 2006 às 20:39
Ora viva, outra vez, Cara Marisa...

Concluo, portanto, que a Cara Marisa é susceptível a possessões incontroláveis. Ou seja, mesmo num dia soalheiro, não está livre de se libertar de pudores e embargar em lasciva ou comportamentos devassos. Sabe, é sempre bom saber estas coisas, da mesma forma que também convém dar uma vista de olhos no boletim meteorológico. Isto, claro, para quem tem o previlégio de privar consigo.

Agradeço também a sua atenção para com o meu link, mais uma vez, obrigado.

Elegância inigualável, soa-me bem, e faz-me até recuar aos meus tempos áureos em que era, de facto, muito elegante. Agora já não tenho a mesma silhueta fisionómica, talvez tenha uma prega ou outra a mais, mas sobeja-me o bom uso da palavra e algum savoir faire. Afinal, em determinadas alturas, devemos fazer-nos valer do melhor que temos enquanto o temos.

Assim seja, se me concede o previlégio de saber, cá estarei com toda a atenção para ler.

Um abraço...
shakermaker
De Marisa a 17 de Novembro de 2006 às 09:58
Caro Shakermaker, muito bom dia!
Pois venho só agradecer-lhe a sua atenção para com os meus textos e consequentemente personalidade.
É um grande prazer saber que escrevo para que pessoas com a sua classe e elegancia, sim a fisica pra aqui pouco importa, possam ler e apreciar.
Muito obrigada!
Tenha um bom dia, um abraço...
Marisa
De Lobaaaaaaaaaaa a 16 de Novembro de 2006 às 09:00
Que entrega intensa...

Beijos mil em tu :)
De Marisa a 16 de Novembro de 2006 às 09:21
Que desejo imenso...

Mil beijos.
De Maeve a 14 de Novembro de 2006 às 14:51
Há dias assim.
Sem dúvida minha amiga.
Em que ser leviana, predadora, pecadora...etc... etc é tão bom.
Como eu gosto destes textos.
Beijocas
De Marisa a 14 de Novembro de 2006 às 15:52
Meave!
Olá, de visita ao meu cantinho?
Que bom.
Pois estes momentos são pecaminosamente belos, puros e intensos, hummm.
Como eu gosto de ver-te cá, beijão.
De Maeve a 14 de Novembro de 2006 às 16:04
Marisa
Eu venho sempre cá, todos os dias.
Eu delicio-me com os teus posts.
Nem sempre deixo é o meu comentário muitas vezes por falta de tempo.
Bejocas amiga.
De Marisa a 14 de Novembro de 2006 às 16:07
Que bom é sabê-lo amiga, eu escrevo essencialmente porque gosto, mas saber que a minha escrita agrada a outras pessoas, como tu, é un vero piacere.
Muito obrigada, é uma honra!
Beijokas...
De Vasco_27 a 14 de Novembro de 2006 às 23:50
Ola, Bellissima... Apenas passei por aqui para t deixar um grande beijo, cheio de "saudades" e mimos de um Amigo q nao s esquece jamais de ti. Passa pelo meu mail sempre q possas. Um grande Baci, Bellissima...

Ciao
Vasco
De Marisa a 15 de Novembro de 2006 às 11:55
Olá Vasco!
Sempre um prazer ter-te por cá.
Um beijo imenso tambem para ti. Escrever-te-ei oportunamente.
Baci bello.
De mfc a 14 de Novembro de 2006 às 13:36
No amor as palavras podem ser violentamente carinhosas.
No amor não há palavras proibidas nem escolhidas.
No amor ama-se com as palavras com que se sente!
De Marisa a 14 de Novembro de 2006 às 15:51
MCF, sempre um grande prazer recebê-lo por cá, uma honra.
Quanto às suas palavras, pois não vou acrescentar nada... não quero estragar o que é tão belo.
Muito obrigada!
De homem de negro a 14 de Novembro de 2006 às 11:10
Olá...
Agradeço o convite mas durante a semana é complicado, falta-me o tempo para te poder dar tudo o que queres e com o vagar que desejas...
Estou a dois passos e um salto de ti, é certo, mas pode ser ao fim de semana?
Um beijo vadio, a gente vê-se por aí...
De Marisa a 14 de Novembro de 2006 às 11:40
Ahahahahahah, problemas de agenda.
É uma pena...
Gostei muito, um beijinho.
De cheiodetesão a 13 de Novembro de 2006 às 21:47
Por isto e por aquilo, andei o dia inteiro cheio de tesão (vai só ver o post que escrevi).

E agora, para acabar o dia, deixas-me com esta tesão ainda mais entranhada...

Agora tenho que me masturbar, porque não tenho outra maneira de extrair de dentro de mim esta tesão filha da puta!

:)
De Marisa a 14 de Novembro de 2006 às 11:05
A... bastante expressivo.
Lamento o embaraço em que te deixei, só posso dizer-te para voltares a ler o texto e fazer... o que te apetece.
Obrigada pela visita e espontaneidade, baci.
De cheiodetesao a 14 de Novembro de 2006 às 15:12
E a foto é tua?

Beijinhos...
De Marisa a 14 de Novembro de 2006 às 15:54
Ahahahahahahaahahah, não queiras saber demais...
Sabes o que aconteceu ao gato?
De cheiodetesão a 14 de Novembro de 2006 às 21:27
Não! Que foi que lhe aconteceu?!

:)

PS: Realço o biquinho dessa maminha à vista, assim tão desafiador, tão senhor de si mesmo, acreditando que é uma marca como não haverá outra! Há biquinhos de maminhas assim... vaidosos!
De Marisa a 15 de Novembro de 2006 às 11:56
Pois o gato era muito curioso e depois a curiosidade matou-o!
Essa tua pareciação do mamilo... és um contador de histórias...
De cheiodetesão a 16 de Novembro de 2006 às 18:09
Pois sou...
De INPulso a 13 de Novembro de 2006 às 13:58

Estremeci quando a li....o meu coração bateu forte..
Gosto de ler pela forma como o que leio me toca...E assim fico saboreando as suas palavras, em cada momento dos instantes partilhados....
Continue... um beijo
De Marisa a 13 de Novembro de 2006 às 14:50
Inpulso...
Que bom é fazê-lo estremecer, dessa forma.
E saber que me lê com esse entusiasmo, continuo claro, é un vero piacere!
Baci.
De ZePedro a 13 de Novembro de 2006 às 13:40
A expressão absoluta da entrega
A entrega transformada em luxúria
A loucura do prazer
Momentos que devem por todos ser vividos
E sentidos
Pois são algo de extremo
Extremo prazer extrema loucura extrema entrega
Mas é algo que não se pede por palavras
É algo que se insinua
Que se faz viver
E que se desfruta num momento não planeado
Planeado perde a chama
Mas descrito demonstra apenas a vontade de se chegar a um extremo
De se desfrutar até ao limite
E é isso que é belo nas tuas palavras
Desfruta sempre Marisa
Com o máximo de intensidade
Beijos
De Marisa a 13 de Novembro de 2006 às 14:47
Olá ZePedro, gostei muito.
Uma síntese ainda que incompleta, intensa.
É isso mesmo... quero tudo!

Obrigada, beijos.
De Dossier de Argolas a 13 de Novembro de 2006 às 13:02
Por quem é Marisa, por quem é. Olhe que você ainda mata alguem com um ataque de coração!
Quer dizer, entra-se aqui desprevenido, com as mãos nos bolsos, a assobiar e tal ... os olhos batem num texto destes, e é um sarilho!
Para já, para já, porque as mãos correm o risco de deixarem de caber nos bolsos, porque a zona dos bolsos passa a estar muito volumosa e ocupada. Depois porque me falta o folego para continuar a assobiar. Depois ainda porque não consigo parar de ler o texto...já vou na 25ª vez, e ainda não consegui parar (intervalei apenas para comentar), e isso consome tempo, ... e enrgias, no caso.

Como lhe disse...por quem é, Marisa! Ainda me mata do coração.
De Marisa a 13 de Novembro de 2006 às 14:45
Olá Dossier!
Parece-me que gostou do texto, estarei enganada?
Olhe deu-me pra aqui e não aceito nada menos que isto.
Hoje estou assim... possuída!
Leia e releia, é um piacere imenso tê-lo por cá, estou capaz de lhe pedir pra me fazer companhia...
Ahahahah baci.

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas