Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Será?

Será só a mim que apetecem as noites escaldantes de luar?

Aquelas noites em que mesmo em cima do capot de um carro em frente ao mar, estamos tão iluminados que se notam os mais ínfimos pormenores do nosso corpo, as gotas de suor que teimam em descer por entre os seios ainda ofegantes, a pele arrepiada, mas deliciosamente provada, hummm apetece…

Aquelas noites em que basta tirar as havaianas e correr para dentro de água, aquelas noites em que não queremos que o dia nasça, a claridade é suficiente para aguçar em nós o desejo que a lua faz questão de presenciar.

Aquelas noites de um calor extenuante em que só um banho gelado nos acalma, um duche ensaboado pelas mãos do desejo… hummm apetece…

Os tops fininhos e insinuantes, as calças de linho, as sandálias frescas, as risadas na esplanada, o pôr-do-sol nunca igual, as conversas até ser de dia outra vez…

 

          

A liberdade que as noites quentes nos trazem, o desejo que o calor nos provoca, o tesão que é vestir aquele vestido curto que nos fica a matar, só assim, mesmo por cima da pele… sem nada a esconder… com tudo a desejar…

Sentir a areia por entre os dedos, o tesão a brotar da alma, as pernas a tremer, as mãos a apertarem, a boca a secar, o vinho a correr, o peito a arfar, o corpo a pedir, o pensamento a fugir, o mundo a ruir, sentir… hummm apetece…

Escrito por Marisa às 15:48
Piacere | Vero? | Pensamentos (18) | Grazie
|
Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007

Segredo...

Eu adoraria dizer que não preciso de homens… mas é falso, completamente falso!

Bom para todos os efeitos e porque nós mulheres só conseguimos manter o nosso estatuto de importantes e interessantes, enquanto seres independentes e completamente livres, só nesse caso, sim não preciso de homens para nada, desenrasco-me bem obrigada, e o gás já vem em botijas pequeninas e muito bem entregues…

Mas a bem da verdade… eles têm uns dedos fantásticos, eles conseguem fazer aquele olharzinho de cachorrinho, absolutamente delicioso, eles conseguem convencer-nos de que somos fantásticas principalmente quando o objectivo é passar um bom bocado connosco…

E diga-se a bem da verdade, ainda que nós o saibamos é sempre tão engraçado fazermo-nos de inocentes e deixá-los espernear só para alcançarem os seus objectivos, que muitas vezes são também os nossos.

Ok não preciso de um homem na verdadeira acepção da palavra, há maravilhosos orgasmos inteiramente no feminino, há imagens femininas que valem por mil corpos musculados de deuses, ora mas aquele odor próprio deles, aquela rudeza, o ar másculo e forte, a maneira convicta com que decidem conquistar-nos, a forma como nos conseguem surpreender, a maneira por vezes desesperada com que tentam tentar-nos, o ar desajeitado, a timidez que sempre deixam vir ao de cima, o ar desprotegido, eu gosto disso e sim… isso faz-me falta.

 

                    

Os convites para jantar, os telefonemas só porque sim, os elogios por vezes despropositados, as flores que nunca mais darão na vida, mas naquele momento fazem-nos crer que as adoram, as artimanhas que encontram para conseguir o nosso numero de telefone… ahahahahahahah eu adoro o que os homens fazem e nos fazem só para nos ter ainda que por breves momentos.

Por isso meus queridos, continuem a esforçar-se, continuem a inovar, desistam de nos tentar perceber, mas esforcem-se por nos ter, porque se conseguirem valerá de certeza o esforço…

A quem tem cedido algum do seu tempo, vindo visitar-me apesar de não ter encontrado este blog actualizado, as minhas sinceras desculpas, ficar sem net e sem tempo é uma grande chatice, para quem gosta de deixar aqui os seus devaneios... mas voltei!

Obrigada!

Escrito por Marisa às 11:54
Piacere | Vero? | Pensamentos (16) | Grazie
|
Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Lá fora...

Um Domingo banal... mais um, vulgar, chuvoso, ventoso, frio... mas lá fora.
O cansaço quer apoderar-se de mim , a auto-estima teima em descer, o corpo tende a quebrar, a alma quer abandonar-me por momentos... não deixo!
Um Domingo aconchegante, relaxante, estimulante, quentinho... dentro dos meus lençóis... com a minha companhia preferida... quem mais...
Lá fora a chuva, cá dentro o desejo, lá fora o vento, cá dentro o tesão, lá fora a escuridão, cá dentro a chama... hummm
E uma música a embalar-nos a alma, a chuva a cantar lá fora, e brilha o olhar e deixa-nos amar... toda a tarde...
Que chova... lá fora...
        
How can i think i'm standing strong?
Yet feel the air beneath my feet
How can happiness feel so wrong?
How can misery feel so sweet?
How can you let me watch you sleep?
Then break my dreams the way you do
How can i have got in so deep?
Why did i fall in love with you?

This is the closest thing to crazy i have ever been
Feeling twenty-two acting seventeen
This is the nearest thing to crazy i have ever known
I was never crazy, on my own and now i know
That there's a link between the two
Being close to craziness, and being close to you

How can you make me fall apart?
Then break my fall with loving light
It's so easy to break a heart
It's so easy to close you eyes
How can you treat me like a child?
Yet like a child i yearn for you
How can anyone feel so wild?
How can anyone feel so blue?

This is the closest thing to crazy i have ever been
Feeling twenty-two acting seventeen
This is the nearest thing to crazy i have ever known
I was never crazy, on my own and now i know
That there's a link between the two
Being close to craziness, and being close to you

And being close to you-ooh-ooh-ooh-ooh
And being close to you

 

Escrito por Marisa às 21:02
Piacere | Vero? | Pensamentos (18) | Grazie
|
Quinta-feira, 1 de Fevereiro de 2007

Ficar assim...

Há dias em que sabe bem ir pra cama sem sono ou sem aquele cansaço excessivo que nos obriga a adormecer sem ter tempo de pensar sequer que vamos dormir…

Alguns dos momentos mais maravilhosos que tenho, são aqueles em que de olhos fechados, mas bem consciente do que sou, recordo pequenos momentos do dia, ou reflicto sobre uma qualquer imagem que me ficou retida, uma palavra, uma expressão… muitas vezes um sorriso. E não poucas vezes dou por mim, dentro dos meus lençóis e em dias como estes de frio, bem apertadinha contra mim e sorrio porque afinal no meio de tanta coisa que se passou houve algo por vezes minúsculo, de positivo, de agradável.

Ás vezes é uma recordação de infância, às vezes é a primeira música que ouvi no dia e que andou na minha cabeça e sem dar por isso cantarolava-a, é nessas alturas que me apetecem escrever o que eu considero serem os meus melhores textos…

Provavelmente porque o silêncio e a escuridão próprias da noite, me obrigam a ser mais fiel a mim própria, provavelmente porque tendo-me só a mim naquele momento, posso ser mais livre, posso pensar em imensas coisas, sem um telefone a chatear, sem um ruído que desconcentra ou sem as interrupções involuntárias de uma vida que corre sempre demasiado depressa.

          

Ficar assim enquanto lá fora um mundo continua, e o meu suspenso… naqueles pedaços de vida, momentos de vero piacere em que aproveito tudo o que ficou retido na alma e posso expô-lo tal e qual como me chegou, como o recebi, como o quero.

E depois quando finalmente os olhos começam as ficar pesados, os pensamentos turvados pelo cansaço e o corpo bem aconchegadinho no que eu considero o melhor lugar do mundo, aí sim, sabe bem dormir, com a certeza de que no dia seguinte tudo voltará, mas o de hoje foi cumprido!

Escrito por Marisa às 09:27
Piacere | Vero? | Pensamentos (24) | Grazie
|

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas