Segunda-feira, 21 de Agosto de 2006

Olhares...

Nunca hei-de esquecer aquele olhar…

Fomos de fim-de-semana, uma casa linda, em frente a um mar imenso e um horizonte para nos perdermos, até de nós próprios… e de paixão.

Entrámos em casa, arrumei apressadamente as coisas no quarto e tirei a roupa, sempre adorei andar nua por casa e sendo numa casa como aquela, nem pensei duas vezes, dei por mim apenas de lingerie.

Ele entrou no quarto e tivemos que inaugurar o momento, o que significa que após tanto tempo, continua a não me resistir de lingerie, ahahahahaha .

Puxou-me pra si, beijou-me avidamente, apertou-me uma nádega e sussurrou-me que ali começava o melhor fim-de-semana da minha vida… nem ele sabe quanto…

Entre beijos altamente fogosos e lambidelas escaldantes, íamos tirando o que nos restava de roupa, fomos para a varanda do quarto, o dia estava a terminar e aquele lusco-fusco era tremendamente sedutor, o barulho das ondas, a brisa da noite, e aquele cenário, eram algo que me excitava profundamente.

Ali no meio do paraíso, absolutamente alheios ao resto do mundo, nem o barulho das ondas nos distraía, tal o fervor de quem não quer perder nada do que nos espera e aproveita o melhor que a vida nos reserva.

Ele puxava os meus cabelos até eu descer, mas vagarosamente, sedento da minha boca, eu arranhava o seu peito, o que o fazia gemer e me dá um especial gozo, depois beijava cada centímetro da minha pele e lambia o meu sexo, agarrava-me e posicionava-me como lhe apetecia, eu nem contestava, o prazer era infinito… até que ao virar-me aleatoriamente, percebi a presença de um vulto que nos observava, mas que estremeceu quando percebeu que tinha sido denunciado.

                     

Soltei um pequeno grito, o que fez com que me penetrasse selvaticamente, e fiz um sorriso para aquele estranho que nos olhava… ele retribuiu.

Sentir-me observada por aquele homem, deu-me um prazer imenso, quase pecaminoso.

Ficámos ali algum tempo, ora beijando, ora lambendo, ora mordendo, ora gemendo de desejo, de vez em quando olhava para a casa do lado, e ele continuava ali como uma peça de mobiliário, imóvel, a observar, secretamente, como se esperasse pela sua vez, como se tivesse permissão para tal, nunca se moveu dali.

Por fim, quando estávamos completamente exaustos, abraçados, uma leve aragem começou a tornar-se incómoda, entre beijos resolvemos voltar para dentro de casa... mas antes ainda voltei a olhá-lo e a sorrir-lhe…

 

Escrito por Marisa às 09:01
Piacere | Vero? | Grazie
|
17 comentários:
De Ca a 5 de Setembro de 2006 às 11:45
Bela sugestão!! Só falta o tipo, conheces algum à minha altura???!!!

Não leves a coisa literalmente, ok???!!!
Ainda me lembro daquela boca foleirossérrima sobre o trabalho à minha altura!!! Ahahahah!!

Como sou uma pessoa importante, usava máscara para não ser reconhecida!!! Ou não!!! Hummm!!

Máscara é outra conversa!! Ai, ai!!
De Marisa a 5 de Setembro de 2006 às 12:07
Estás possessa, a ver se arranjo um tempinho para ir ter contigo...
Homens à tua altura... e se forem mulheres?
De Ca a 7 de Setembro de 2006 às 22:25
Os dois!!

Separadamente/simultaneamente!!!

Já estou por tudo!!
De Dossier_de_argolas a 23 de Agosto de 2006 às 16:43
Era o estranho lá no local, e eu aqui no ecrã! Afinal, cada um observou de onde podia. Daqui desta janela, gostei. O estranho calculo que também. As personagens principais devem ter adorado.
....agradeço o sorriso! Pelo menos a parte que a mim se destinava (presunção minha!)
Beijo
De Marisa a 24 de Agosto de 2006 às 09:20
Ora o Dossier sabe que eu adoro sorrir... e fazer sorrir!
E depois poder proporcionar prazer enquanto se tem piacere, que mal tem?
Olhar sedutor o seu... gostei!
Baci.
De inconfidente a 22 de Agosto de 2006 às 14:37
Coitado...até deve ter subido às paredes.
eh he he, beijocas
De Marisa a 22 de Agosto de 2006 às 15:28
Ahahahahahahahahaahah Inconfidente, que piacere ter-te por cá!
Pois, eu subi...
Ele, teve de certeza um dos melhores momentos da sua vida, mas não precisa de me agradecer...
Baci per te.
De felina a 23 de Agosto de 2006 às 09:41
Uma das minhas maiores fantasias é essa... e tu tiveste a oportunidade de a viver na sua plenitude, com um "Senhor"...
Fantástico!
(Estou a ver se consigo finalmente comentar-te, pois sempre que tentei, aparece-me a mensagem a dizer para introduzir dados diferentes... não percebo porquê eu, se toda a gente te consegue comentar...)

Muitos beijinhos!!!
De Marisa a 23 de Agosto de 2006 às 09:48
Felina!
Que piacere imenso, receber-te em tão modesta casa... estou felicissima.
Pois não sendo nada de premeditado, foi de facto uma fantasia realizada e muito bem!
Que bom que conseguiste comentar-me, gosto sempre de ter opiniões, de quem como eu, ama o prazer, assume-o e assume-se como tal, uma das minhas...
E para celebrar este primeiro comentário...
Tchin tchin!!!
Baci.
De MSDOS a 22 de Agosto de 2006 às 12:09
Sim prazer infinito. Aquele que tarda... que nos deixa um olhar perdido, que nos faz ter razão quando pensamos no incomparável!

Milan Kundera sustentava a Insustentavel leveza do ser com a impossibilidade da perfeição e o melhor de dois mundos, tudo isto dado embrulhado pelas mutações lá fora... fora das quatro paredes... fora daquele quarto que era afinal muitos quartos.

Este texto, é por assim escrever um querer ter o impossivel, o perfeito!

Não tentes a perfeição, dizem que é chata e incomparável!
De Marisa a 22 de Agosto de 2006 às 12:26
Olha quem cá está!
O MSDOS e no seu melhor...
Milan Kundera tem de facto uma bela visão da perfeição, que não ouso contrariar, aliás o meu objectivo não é sequer essa perfeição, adoro imperfeições e imperfeitos.
Este texto não tem nada de perfeito, teve se calhar na mente de quem o leu, o gosto pelo voyerismo, ou o prazer de observar, isso não é perfeição, é prazer.
Eu quero ter o que mereço!
Sabes que há coisas chatas e incomparáveis, ainda assim tremendamente sedutoras... ahahahahahah
Obrigada pela visita, espero que te tenhas sentido confortável por cá... beijo.
De Zuco a 22 de Agosto de 2006 às 01:05
As saudades que eu já tinha da minha alegre casinha...

(Tu entendes!)
De Marisa a 22 de Agosto de 2006 às 09:05
Entendo?
Ahahahahahahahahahah.
Hot chocolat.
De FlordeLis a 21 de Agosto de 2006 às 16:55
Se há sensação que desperta mais o desejo é sem dúvida a sensação do perigo, de sermos descobertos. Isso assim vale a pena....
Beijo.

De Marisa a 21 de Agosto de 2006 às 17:52
Uiiiiiiii!
É o delirio.
Baci.
De Suzie a 21 de Agosto de 2006 às 14:42
Gostei. É a primeira vez que cá venho.m Ando a explorar o que se passa. Uma vez que eu própria comecei um...
Aparece por lá.
Suzie
De Marisa a 21 de Agosto de 2006 às 14:58
Olá.
Oportunamente, visitá-la-ei.
Baci...

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas