Segunda-feira, 26 de Junho de 2006

Chuva

Há dias que só por si nos trazem a alegria de viver!
O que eu adoro estes dias de primavera, em que teima cair uma chuvinha miúda, que contrasta com o dia quente e que nos convida a passear pela chuva...
Fico deliciada com as gotas a escorrerem pela face, a  entrarem por sítios impenetráveis, a abusarem do meu corpo, a sentirem o calor da minha pele, sem limites... nem barreiras...
Saí daqui com um sorriso de criança, fui para casa, larguei tudo no sofá, descalcei-me, só pra sentir a relva molhada, pus uma música bem sensual e corri para o jardim, onde rodopiei, dancei, sorri... e a chuva caía...
Que delicia sentir a chova a tocar-nos, um corpo quente, uma pele sedenta, cabelos encharcados, o cansaço de quem não consegue parar perante tal visão...
-Nunca vais deixar de brincar, à chuva, pois não?
-Ahahahahahaha , estavas aí?
-Desde o principio, num dia destes só podia esperar que chegasses a casa e fosses para o jardim, brincar à chuva, e a visão é...
-E não queres vir fazer-me companhia...
-Estás encharcada, descalça, vais ficar gripada...
-Pois vou, a não ser que o corpo não arrefeça, aliás acho que vou tirar a camisa, só pra não se molhar mais, e os jeans ...
-Ahahahaha , fazes bem...
-Melhor... vou sentar-me naquela mesa e deixar que a chuva me entranhe a alma.
-Não... deita-te, prepara o banquete... eu estou esfomeado...
-Anda...
            
Escrito por Marisa às 14:21
Piacere | Vero? | Grazie
|
15 comentários:
De Ca a 15 de Julho de 2006 às 05:46
Que imagem... tipo cereja em cima do bolo!

Somos duas!

Sabe pouco bem, sabe!

Com boa companhia... que prazer!

És artista e basta.

Estou deliciada... comia até rebentar!!
De sem nome a 30 de Junho de 2006 às 09:39
hoje chove muito, muito,
e parece que estão lavando o mundo.
meu vizinho do lado contempla a chuva
e pensa em escrever uma carta de amor/
uma carta à mulher que vive com ele
e cozinha para ele e lava a roupa para ele e faz amor com ele/
e parece sua sombra/
meu vizinho nunca diz palavras de amor à mulher/
entra em casa pela janela e não pela porta/
por uma porta se entra em muitos lugares/
no trabalho, no quartel, no cárcere,
em todos os edifícios do mundo/
mas não no mundo/
nem numa mulher/nem na alma/
quer dizer/nessa caixa ou nave ou chuva que chamamos assim/
como hoje/que chove muito/
e me custa escrever a palavra amor/
porque o amor é uma coisa e a palavra amor é outra coisa/
e somente a alma sabe onde os dois se encontram/
e quando/e como/
mas o que pode a alma explicar?/
por isso meu vizinho tem tormentas na boca/
palavras que naufragam/
palavras que não sabem que há sol porque nascem e morrem na mesma noite em que amou/
e deixam cartas no pensamento que ele nunca escreverá/
como o silêncio que há entre duas rosas/
ou como eu/que escrevo palavras para voltar
ao meu vizinho que contempla a chuva/
à chuva/
ao meu coração desterrado

Juan Gelman
De Marisa a 30 de Junho de 2006 às 09:47
Grata pelo poema!
E pela visita, baci...
De Miguel a 28 de Junho de 2006 às 09:29
Chuva...O seu som nos vidros da janela, o sentido de liberdade que dá senti-la na nossa pele, o romantismo que lhe está indelevelmente ligado, o abrigo que dá aos nossos silencios...E ainda há quem queira ter um guarda-chuva...tolos...
De Marisa a 28 de Junho de 2006 às 09:53
Ahahahahahahha , é isso mesmo Miguel, a chuva pode ser tão libertadora, profundamente erótica ou tão simplesmente romântica , os grandes prazeres da vida, são estes...
Grazie , baci per te.
De a.feiticeira a 27 de Junho de 2006 às 20:13
Hummm, xiça...imagino como teria sido o banquete com tão delicioso cenário, digo eu...Lol...
continuas envolta em sensualidade, é um prazer reler-te...um bem haja.
De Marisa a 28 de Junho de 2006 às 09:52
Olá Feiti, obrigada pela visita, e que bom que continuas a gostar dos meus 'banquetes', ahahahah.
Uma delicia... baci.
De Dossier_de_argolas a 27 de Junho de 2006 às 15:23
Mas que coisa!
É ainda a chuva de ontem! Eu que pensei que vinha aqui hoje escrever a palavra com pontos de exclamação que faltava....
Será amanhã, talvez!
O que me vale é que ainda sou gota-de-chuva, por parte ... (não, nem da mãe nem do pai)...por parte dos hifens!
Arriverdecci...
De Marisa a 27 de Junho de 2006 às 17:43
Até amanhã...
Baci.
De Essa_miuda a 27 de Junho de 2006 às 12:21
Chuva... só durante a noite, para ter o prazer de a ouvir enquanto me aconchego na cama... Prefiro os 40º graus à sombra, não fosse eu alentejana :) ... E confesso que a última molha primaveril que apanhei à poucos dias não foi das sensações mais agradáveis... Como se costuma dizer: "Chegei a casa que nem um pinto..."!! Um beijinho Marisa, é sempre um piacere passar pelo teu cantinho :)
De Marisa a 27 de Junho de 2006 às 12:29
Essa! Olá, portanto tu não partilhas do meu gosto por chuvas primaveris, olha que sabe primorosamente bem... Mas também não dispenso o teu Alentejo e os 40º, que fazer...
Baci , grata pela visita.
De Vasco__27 a 26 de Junho de 2006 às 15:39
Chuva a bater numa janela... dos sons q mais gosto de ouvir, especialmente qdo estou na minha casa e sozinho... Boas lembranças... Beijo, Marisa...
De Marisa a 26 de Junho de 2006 às 16:09
Boas lembranças...
Deitada na cama a ouvir a chuva lá fora, até apetece ronronar...
Obrigada... baci.
De Dossier de Argolas a 26 de Junho de 2006 às 15:02
Disse-me uma gota de chuva, daquelas que "entrarem por sítios impenetráveis, a abusarem do (teu) corpo", que aqui passasse para ler. Assim fiz. E li! E gostei!! (seguir-se-ia outra palavra com pontos de exclamação))
E acho que fazes bem em tirar camisa, jeans e quejandos para não se molharem: afinal as gotas de chuva são todas iguais, não devem ser apenas as sortudas que entram por "sitios impenetraveis"!
Sou pela igualdade de oportunidades!
Enfim...cheira a chuva em tarde de primavera!
Piacere...
De Marisa a 26 de Junho de 2006 às 15:06
Ahahahahahahahah , a outra palavra seguida de pontos de exclamação seria provavelmente a melhor... Grata pela visita, as gotas são realmente muito indiscretas, nem ouso contrariá-las. Baci .

Vero?

veropiacere@sapo.pt

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Hummmm...

Sei lá...

Ciao

(...)

Ingenuidade

Viver...

Pretensão

Quando...

Kininha

Renascer…

Hoje não…

Recordar...

Agosto 2010

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

No Ar...

Piaceres...

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Entre!

pegadas